Plataforma das TIC e Media

A APDC - Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações - assume-se como plataforma de debate e reflexão de todos os temas decisivos e mobilizadores da transformação para o digital. Desde 1984, desenvolve a sua atividade em torno de um conjunto consistente e mobilizador de iniciativas, envolvendo todos os stakeholders nos temas que marcam a agenda de uma indústria que cada vez mais horizontal e crítica. Considerando o setor um indutor de modernidade e de competitividade da economia e um exemplo de inovação, a Associação está ainda a promover a criação de iniciativas que promovam e potenciem o ecossistema.

Sendo hoje um projeto associativo consolidado no panorama nacional, a APDC centra-se nos temas ligados à revolução digital, que está em curso e é imparável. As nossas vidas, a forma como comunicamos, aprendemos, fazemos negócios, nos relacionamos com a sociedade e com os organismos públicos serão cada vez mais baseados nas tecnologias de informação e comunicação. E as mudanças ocorrem a uma velocidade cada vez mais elevada, provocando uma disrupção em todos os setores de atividade, cujo futuro vai, cada vez mais, ser marcado pela transformação digital.

Perante esta realidade, a APDC terá que procurar antecipar como será o Futuro dos Negócios, refletindo com os Associados e os seus clientes sobre a forma como esta Revolução Digital, sem precedentes em intensidade e velocidade, já está e continuará de forma cada vez mais acelerada, a mudar o dia-a-dia das empresas e dos negócios.

Este é o conceito base do Mandato 2019-2021, que é dedicado ao Futuro dos Negócios, assim como o Futuro da Governação e da Cidadania, num quadro de aprofundamento da Revolução Digital. A constante reinvenção do papel da APDC, a forma como desenharemos as nossas atividades, incluindo naturalmente o conteúdo do Congresso, refletirão esta orientação.

As principais linhas de ação deste mandato são:

1. Discussão sobre o Posicionamento APDC
Torna-se necessário, de uma forma periódica, afinar o nosso posicionamento, adaptando-o a um setor em evolução, que induz a mudança dos demais setores, e aos interesses de um cada vez mais alargado conjunto de Associados.

2. Reinvenção dos principais produtos da APDC
A Associação vai proceder a uma reinvenção do seu Congresso anual, virando-o para a discussão sobre o Futuro dos Negócios e alterando progressivamente o seu formato. Vamos apostar em testemunhos de protagonistas centrais dessa transformação e na análise de casos concretos de transformação digital em clientes em Portugal, relacionando-os com o que de mais avançado se vai fazendo no Mundo.
A aposta num estudo anual, a apresentar no Congresso, vai manter-se. Mas pretende-se agora uma análise mais detalhada e estruturada de casos concretos paradigmáticos e ilustrativos das mudanças que estão a ocorrer nas empresas num quadro de transformação digital. Todas as atividades da APDC serão desenvolvidas com o novo desígnio estratégico.

3. Melhoria do Modelo de Governo
Numa conjuntura de profundas mudanças, a APDC terá que ter um modelo de governo cada vez mais ágil e flexível, garantindo uma maior participação dos Associados na tomada de decisão, num cenário de progressivo aumento do seu número e alargamento além das TIC e Media.

4. Aumento do Leque de Associados e reforço da Proposta de Valor. Incremento da Cooperação com outros stakeholders, nacionais e internacionais
Tendo em conta que a natureza da revolução tecnológica impõe que todas as empresas sejam atores de pleno direito na economia digital, faz todo o sentido alargar o estatuto de membro da Associação a empresas dos outros setores de atividade que, desta forma, passam a participar num debate e reflexão cada vez mais alargados. A APDC vai ainda revisitar e melhorar a proposta de valor para cada categoria de Associados/Patrocinadores e Associados Individuais, assim como incrementar a cooperação e as parcerias com outros stakeholders, nacionais e internacionais, nomeadamente com o Sistema Científico e Tecnológico, tendo em conta que vivemos cada vez mais em ecossistema e interdependência.  


Rua Tomás Ribeiro, 43 - 8º
1050-225 Lisboa
Portugal
Ver mapa
213 129 670
213 129 688