Evento APDC

07.07
Conferência



Predictions & Broadband Summit

Preparar o futuro

Estado e empresas, particularmente das TIC, estão empenhados em promover o desenvolvimento de serviços sobre RNG. Para que o País possa estar na linha da frente da inovação e dar cartas numa área crucial tanto para ultrapassar a actual conjuntura de crise como para responder aos desafios do futuro. Novos paradigmas, mais ou menos radicais, novos modelos de negócio, alterações profundas de comportamentos, oportunidades de negócio resultantes da alta velocidade, estimulo ao investimento e á inovação radical. O consenso em torno do impacto das redes do futuro e da sua importância foi total. Agora, há que mobilizar economia, sociedade e cidadãos para acelerarem a construção deste novo mundo. Estas foram grandes mensagens do Predictions & Broadband Summit, um evento da APDC onde se pretendeu analisar o presente e traçar o futuro com as RNG e a criação de serviços baseados nessas redes.
As Redes de Nova Geração (RNG) vão representar uma mudança de paradigma de carácter estrutural e materializam a economia do conhecimento, colocando Portugal num novo ciclo de crescimento assente em sectores com maior valor acrescentado. A mensagem foi deixada pelo Ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações no encerramento do Predictions & Broadband Summit, uma iniciativa da APDC que contou com a participação da Deloitte. Para Mário Lino, esta mudança de paradigma não será apenas ao nível económico mas também ao nível da inclusão social e participação cívica. Com novas formas de acesso, de organização e participação e interacções sociais mais ricas.
CAPACIDADE DE MOBILIZAÇÃO
Mas alerta para o facto destas mudanças de paradigma estarem longe de estar garantidas. Elas exigem "capacidade de mobilização e inovação", não apenas por parte do sector das TIC mas também dos restantes sectores e da sociedade como um todo. E, para isso, é necessário também desenvolver politicas sectoriais e de regulação que propiciem o investimento e disseminem as TIC a todos os níveis da sociedade. E o governo tem dado o exemplo, com o lançamento dos serviços na Administração Pública e a criação de quadros regulatórios e de financiamentos propícios ao investimento e á inovação. Além do apoio ao desenvolvimento de novos serviços, promovendo com isso a criação de um cluster nacional de serviços avançados de nova geração. O objectivo é permitir que os portugueses sejam dos primeiros cidadãos europeus a ter os benefícios destes investimentos e o acesso às RNG.
Também Diogo Vasconcelos, presidente da APDC, sublinhou a importância da tecnológica. Destacou no entanto que o mais fundamental é a inovação na resposta às necessidades que a sociedade enfrenta actualmente. Através das RNG e dos serviços que utilizarão estas infra-estruturas será possível responder às dificuldades de curto-prazo, geradas pela actual crise económica e financeira, mas sobretudo responder aos desafios de longo-prazo, preparando o futuro.
Para este responsável, a iniciativa de um dia e meio da APDC, onde estiveram presentes cerca de 360 pessoas, visou uma análise e debate de hipóteses de concretização de serviços. Porque a tecnologia por si só não resolve nada. O caminho serão os serviços suportados nestas redes do futuro. Daí a aposta na realização do estudo sobre o impacte económico e social das RNG, o primeiro ao nível europeu na vertente de serviços de nova geração. A APDC está empenhada em acelerar a agenda das redes de alta velocidade. Porque "preocupa-nos a tecnologia, mas muito mais o que se pode fazer com ela. Porque é a partir da mudança de mentalidades, dos novos modelos de negócio e de novos serviços, com inovação radical, que poderemos avançar".
CARLOTA PEREZ: HISTÓRIA E FUTURO 
Carlota Perez abriu o segundo dia do Broadband Summit, com uma abordagem sobre as TIC e a direcção da inovação depois da crise financeira, baseando-se numa análise da história para traçar perspectivas de futuro. Esta conhecida investigadora não tem dúvidas de que as tendências históricas poderão ser um bom guia para compreender o presente e o futuro. E de que os próximos 20 anos serão muito diferentes dos últimos 20. E tudo dependerá da adopção das adequadas políticas e da alteração dos valores sociais. Só assim se poderá tirar o melhor partido do potencial do desenvolvimento tecnológico, que existe e permitirá uma sociedade do conhecimento diversificada e sustentável com novos padrões de vida. As TIC são actualmente uma enorme oportunidade para a inovação, o crescimento e mudanças radicais nos estilos de vida. Para esta responsável, o caminho para uma "golden age" será uma conjugação entre as TIC, o green e a total globalização.
Neste segundo dia de debate em torno dos potenciais serviços baseados em redes de nova geração José Pacheco Pereira comentou a apresentação de Carlota Perez, alertando para os riscos de criação de efeitos perversos resultantes da utilização das tecnologias. Que há que prevenir, tomando as medidas preventivas adequadas. Seguiu-se a apresentação do estudo liderado pela APDC e realizado pela BCG, que contou com a participação de Paulo Campos, Secretário de Estado das obras Públicas e Comunicações. Também vários outros governantes marcaram presença no e vento, participando nas áreas mais representativas e onde as Redes de Nova Geração terão um papel crucial a desempenhar.
QUE SERVIÇOS PÚBLICOS?  
Assim, Maria Manuel Leitão Marques, Secretária de Estado da Modernização Administrativa, participou no painel sobre "Mobilidade e Serviços Públicos". José Magalhães, Secretário de Estado da Administração Interna, marcau presença no debate sobre "Segurança e Emergência". O "Turismo, Cultura e Lazer", assim como "Aprender e Educar em Banda Larga" e "Saúde e Ageing" foram outros temas em análise, num debate em que foram apresentadas provas de conceito, com propostas de demonstrações no terreno de serviços de nova geração.
O primeiro dia do Predictions & Broadband Summit foi dominado pela divulgação das conclusões do TMT Predictions da Deloitte para Portugal, realizado em colaboração com a APDC. E as previsões para o sector das telecomunicações, dos media e da tecnologia foram depois debatidas em dois animados painéis com os temas "Portugal a 100 Mega", onde estiveram presentes protagonistas das TIC, entre operadores, fabricantes e tecnológicas, e "Media Tradicionais e New Media - Convergência ou Substituição". Aqui, marcaram presença responsáveis dos maiores grupos de media e televisão em Portugal.


Programa


Vai acontecer na APDC