Cisco promove estudo para comemorar 30 anos da WWW

2019-03-12 Melhor acesso à educação e à saúde são as maiores ambições para os próximos 30 anos da Web, do ponto de vista dos seus utilizadores. Entre os principais benefícios da internet até ao momento destacam-se conectar as pessoas, comunicação otimizada e capacidade de permitir novas formas de aprendizagem. Estas são algumas das conclusões de um estudo da Cisco, realizado para assinalar o 30º Aniversário da World Wide Web.

Neste estudo, mais de 11 mil inquiridos de 13 países da Europa, Médio Oriente e África partilharam as possibilidades que a Internet lhes proporcionou até à data e o que esperam que fará para as gerações futuras.

Enquanto a Internet ofereceu muitos “primeiros”, desde o primeiro website (info.cern.ch – 1990) e a primeira encomenda online de comida para levar (pizza – 1994), para a primeira conexão à internet no espaço (Cisco – 2010), a ambição das pessoas para o futuro da Internet destaca na maioria o que pode permitir à sociedade. Como possibilitar um “melhor acesso à educação”, uma das ambições principais na lista dos inquiridos para o futuro da Internet (63%), seguido de permitir um “melhor acesso à saúde” (57%). Os resultados demonstram o impacto enorme que a World Wide Web, como a maior aplicação da Internet, teve na conexão das pessoas e informação, ao longo dos últimos 30 anos.

Nos últimos 30 anos, o primeiro aspeto que a Internet tornou possível para os consumidores foi “manter-se atualizado e informado” (74%), seguido do “entretenimento” (71%) e o facto de poderem “manter contacto com a família e amigos” (70%). A indústria de entretenimento (39%) é vista como a principal beneficiária dos avanços tecnológicos até ao momento, seguida da indústria financeira (31%).

Já para os próximos 30 anos, o “melhor acesso à educação” surge como a principal resposta que os inquiridos querem que a internet torne possível (63%) seguido de melhor acesso à saúde (57%). Quando questionados sobre que indústrias irão beneficiar mais dos avanços tecnológicos, a escolha de topo foi saúde (34%), seguida da educação (32%).
“Conectar as pessoas” (39%), “comunicação otimizada” (35%), e “novas formas de aprendizagem” (35%) são consideradas as três formas principais em que a web beneficiou a sociedade até à data. Mais de um terço (39%) das pessoas não conseguem imaginar a sua vida pessoal sem a internet.

“Vivemos num mundo híper-conectado. Até 2022, vamos poder ver mais fluxos de tráfego que atravessam as redes globais do que em toda a história da internet combinada. Este tráfego vem de todos nós, e cada vez mais, os nossos equipamentos. O estudo demonstra o impacto que a World Wide Web e a Internet tiveram nas nossas vidas, e o que as pessoas esperam para o futuro. Para alcançar esse potencial, as organizações – quer seja em saúde, educação, ou qualquer outra indústria – devem ter a capacidade de compreender o poder das conexões e extrair de forma segura o valor delas. Além disso, precisam de gerir a complexidade que vem com a explosão de conectar as pessoas espaços, ideias e aspetos ao longo da rede,” refere Wendy Mars, Presidente da Cisco EMEAR.

Recorde-se que foi a 11 de março de 1989 que o ‘pai da internet’, o engenheiro de software Tim Berners-Lee apresentou uma sugestão para melhorar a partilha de informação entre os colegas do CERN, um laboratório de física nuclear na Suíça. A proposta foi aceite. Começando a desenvolver-se a linguagem HTML, a aplicação HTTP e a World Wide Web. Em 1991, os servidores externos da Web estavam já em pleno funcionamento.

2019-10-10 | Atualidade Nacional

Para disponibilizar inovações em data science e IA para o retalho


2019-10-08 | Atualidade Nacional

Regulador flexibiliza calendário para dar resposta às preocupações da MEO


Em causa está a preferência dos consumidores pelo online


2019-10-17 | Breves do Sector

Em parceria com o Dinheiro Vivo e a TSF


2019-10-11 | Breves do Sector

Com um total de cinco projetos distinguidos nas várias áreas