EUA suspendem por 3 meses sanções à China

2019-05-21 Donald Trump decidiu dar um período transitório de 90 dias para implementar a proibição as empresas norte-americanas de fornecerem as congéneres chinesas. Argumento: dar tempo ao setor para se reorganizar e ao departamento de Comércio de determinar as medidas apropriadas a longo-prazo. A Huawei poderá assim continuar a ter acesso, para já, aos fornecedores dos Estados Unidos.

"Esta autorização geral temporária dá [ao setor] tempo para se reorganizar e ao Departamento [do Comércio] a possibilidade de determinar as medidas apropriadas a longo prazo para as empresas de telecomunicações norte-americanas e estrangeiras, que hoje se servem dos equipamentos da Huawei para alguns serviços essenciais", referiu o secretário do Comércio, Wilbur Ross, em comunicado.

Assim, a fabricante chinesa poderá continuar a recorrer aos seus fornecedores norte-americanos, depois do presidente norte-americano ter anunciado, no âmbito da guerra comercial com os Estados Unidos, interditar as exportações de produtos tecnológicos norte-americanos para algumas empresas consideradas de risco para a segurança nacional. Com a Huawei à cabeça.

A Google, tal como os fornecedores de chips, já tinha anunciado, o corte de relações com a Huawei, o que teria um enorme impacto no grupo chinês, uma vez que o sistema operativo Android equipa grande parte dos smartphones no mundo. Sendo o segundo maior vendedor mundial destes dispositivos, a Huawei teria enormes problemas para resolver com a proibição de acesso a alguns serviços do Android e das aplicações Gmail ou Google Maps. Acresce que a gigante chinesa é também um dos líderes mundiais de equipamentos das redes de telecomunicações e lidera no 5G.

Entretanto, a o fundador da Huawei divulgou que está em negociações com a Google para tentar encontrar uma solução às restrições impostas. Adiantou ainda que os Estados Unidos subestimaram a força do grupo e prometeu que o desenvolvimento da rede 5G não será afetado pelas medidas de Washington.

Recorde-se que a Huawei é acusada pelos EUA de espionagem em proveito de Pequim, que teria largamente contribuído para a sua ascensão internacional. Washington já tinha proibido aos seus militares a utilização de equipamentos Huawei. A fabricante nega qualquer espionagem.

2019-09-13 | Atualidade Nacional

Roadshow internacional do grupo vai passar pelo mercado nacional


2019-09-12 | Atualidade Nacional

Regulador e operador avançam como comunicados e acusações


Pelas suas práticas na área da publicidade


Para pôr fim a um processo de fuga aos impostos


2019-09-12 | Breves do Sector

Com uma experiência de gaming única


2019-09-12 | Breves do Sector

Tecnologia de comunicação NarrowBand-IoT permite recolha de dados de consumo