Gestão financeira deve transformar-se na era digital

2018-05-10 Com a era digital, se o objetivo é que as empresas aumentem a sua agilidade e sejam mais flexíveis face às mudanças rápidas e constantes do mundo empresarial, a gestão financeira terá que se transformar. O que é possível graças à tecnologia ERP na nuvem, que permite que os modelos financeiros evoluam e sejam mais modernos e capazes de responderem às necessidades século XXI.

O estudo "Agile Finance Revealed: The New Operating Model for Modern Finance”, do American Institute of Certified Public Accountants (AICPA) e da Oracle, revela que só 38% das organizações financeiras podem ser identificadas como líderes no que toca à agilidade financeira. Esta média varia entre os vários setores de atividade, subindo para 47% na Educação, 44% nos Serviços Financeiros e 40% na Indústria. Já no Retalho, só 34% das empresas gere de forma ágil os seus departamentos financeiros, descendo para 27% na Saúde e das Ciências da Vida.

Estas conclusões sublinham a necessidade de otimizar a análise dos dados financeiros, introduzindo novos modelos operativos que modernizem e transformem as organizações no contexto da nova era digital. Este modelo financeiro inovador carateriza-se pela utilização da cloud e tecnologias digitais, visando otimizar e revolucionar a eficiência e a capacidade de resposta das operações da contabilidade empresarial.

Tendo em conta a experiência das empresas consideradas líderes em gestão financeira, a automatização da planificação e da análise financeira, recorrendo a ferramentas de análise preditiva, inteligência artificial e machine learning, são cada vez mais necessárias para garantir o desenvolvimento do conhecimento dos departamentos financeiros. Só assim os profissionais da área financeira poderão libertar-se das tarefas rotineiras e concentrarem-se nos temas da gestão que realmente acrescentam valor ao negócio, elevando os níveis de produtividade e reduzindo custos.

O estudo mostra que são as empresas mais avançadas no processo de transformação digital que mais rapidamente entenderam a necessidade de adotar novos modelos operacionais nas s áreas financeiras, para que estas possam ser mais proactivas e capazes de responder aos desafios da mudança. E as empresas líderes na gestão financeira ágil estão mais disponíveis para recorrer a serviços integrados e centros de excelência, com equipas multifuncionais capacitadas para oferecerem apoio aos responsáveis na tomada de decisões empresariais e nas tecnologias cloud,

Entre os obstáculos ao desenvolvimento destas estratégias, destacam-se estrutura, os sistemas e as competências. Cerca de 33% dos inquiridos assegurou que a estrutura organizativa das suas empresas é demasiado complexa e identificou como principal problema estrutural os dados armazenados em silos, facto que leva 26% a reconhecer que a atividade financeira enfrenta dificuldades para ter acesso à informação certa, no momento oportuno.

Já nos sistemas, 33% dos inquiridos considera que as TI obsoletas e complexas constituem uma barreira à agilidade, enquanto 32% assegura que os seus processos são complexos e personalizados.  Nas competências, 36% afirma que o atual leque de competências da área financeira é demasiado limitado e 42% reconhece que precisa de mais competências/recursos em análise de dados, para conseguir alcançar resultados mais de acordo com as exigências crescentes que as suas empresas enfrentam.
 

2018-08-09 | Atualidade Nacional

Sobre a oferta para acesso a postes


2018-08-07 | Atualidade Nacional

Regulador setorial propõe entregar ao Estado 33,6 milhões


Com criação de 700 mil postos de trabalho ao longo dos próximos 3 anos


No desenvolvimento de veículos inteligentes conectados


2018-08-02 | Breves do Sector

App NOS Kids disponível para Android e iOS e brevemente na web