Google acusada nos EUA por causa do YouTube

2018-04-09 Um grupo de 23 organizações de defesa dos direitos digitais e de proteção da infância acabam de apresentar uma queixa junto do regulador norte-americano do comércio, acusando a Google de usar o site de partilha de vídeos YouTube para recolher dados pessoais de crianças e utilizá-los para direcionar os anúncios de publicidade. Consideram estas práticas ilegais e pedem uma investigação.

De acordo com as associações, a Google recolherá as informações pessoais de menores no YouTube, apesar da plataforma estar oficialmente proibido a menores de 13 anos, incluindo a sua localização, o equipamento utilizado ou os contactos telefónicos de telemóvel. Esta informação será guardada sem prévia informação dos pais, sendo utilizada para direcionar a publicidade para crianças em toda a Internet, segundo as associações citadas pelo The Guardian. A quem acrescentam que a Google obtém lucros gigantescos com estes anúncios, através de práticas que contrariam a lei norte-americana de proteção da privacidade das crianças na Internet, que proíbe sites destinados aos mais novos ou que se sabe serem utilizados por estes de recolherem e usarem tais informações sem acordo dos respetivos pais.

Contactada pela agência France Press, um porta-voz da empresa referiu que o grupo ainda não teve conhecimento da queixa, mas garantiu que proteger as crianças e as famílias é uma prioridade".  "Como o YouTube não é para crianças, investimos de uma forma significativa para criar a aplicação YouTube Kids, que propõe uma alternativa especialmente destinada às crianças", realçou o porta-voz.
 

2018-12-07 | Atualidade Nacional

Operador assina protocolos com várias autarquias


Por uso de dados para fins comerciais


2018-12-06 | Breves do Sector

Primeiro evento internacional dedicado a investidores


2018-12-05 | Breves do Sector

Monitores de análise clínica otimizados para configurações de assistência médica