HP intensifica esforços para promover sustentabilidade

2020-07-07 A HP divulgou o seu Relatório de Impacto Sustentável de 2019, destacando o progresso da empresa em áreas como a diversidade e a inclusão, na redução da sua pegada ambiental e no fortalecimento de comunidades em todo o mundo. Como parte desses compromissos, anunciou uma nova meta para duplicar o número de executivos negros e afro-americanos dentro da empresa até 2025. Assim como eliminar 75% das embalagens plásticas de utilização única até 2025, apoiando os esforços da empresa para promover uma economia circular de baixo carbono.

O compromisso em contribuir para um impacto sustentável nas pessoas, no planeta e nas comunidades está integrado nas estratégias e operações de negócios da HP e tornou-se um fator cada vez mais importante nas decisões de compra dos clientes. O impacto nas iniciativas de Sustentabilidade contribuiu para gerar mais de 1,6 mil milhões de dólares em vendas em 2019, um crescimento estimado de 69%, refletindo o crescente imperativo comercial para as empresas liderarem com propósito.^

"A cultura da HP baseia-se na crença de que a forma como fazemos as coisas é tão importante quanto o que fazemos. Acontecimentos recentes revelaram o racismo sistémico e as profundas desigualdades que permanecem como uma mancha na sociedade, e é imperativo que todas as empresas ajam com urgência em todas estas frentes", disse Enrique Lores, Presidente e CEO da HP.

"É especialmente importante que as empresas se responsabilizem e reportem publicamente o seu progresso. Os dados mostram que a HP está a avançar significativamente em muitas destas áreas, além de revelar onde devemos agir melhor. Por exemplo, o número de funcionários afro-americanos está abaixo de onde precisa de estar e estamos a tomar medidas para melhorar. Embora tenhamos muito trabalho pela frente, a nossa cultura orientada por valores que unem as nossas equipas e parceiros dá-me confiança na nossa capacidade de acelerar o progresso e promover uma sociedade mais sustentável, equitativa e justa", acrescenta.

A HP está a promover uma cultura de diversidade e inclusão a todos os níveis da empresa e continua comprometida no combate à desigualdade racial em todas as formas. O Conselho de Administração da HP continua a ser o mais diverso de qualquer empresa de tecnologia dos EUA, composto por 42% de mulheres e 58% de minorias. Em 2019, 63% das contratações dos EUA foram de grupos sub-representados, incluindo mulheres, etnias dos EUA, veteranos e pessoas com deficiência (em comparação com 57% em 2018). A HP excedeu o seu objetivo de contratação de veteranos em 43% e 40% dos novos contratados nos EUA pertenciam a minorias, acima dos 32% em 2018.

Globalmente, 40% das contratações da HP em 2019 foram mulheres e o Programa de Diversidade de Fornecedores da empresa investiu 374 milhões de dólares em pequenos e médios fornecedores, incluindo empresas pertencentes a minorias e mulheres, contribuindo com 698 milhões de dólares de impacto na economia destas empresas.

A HP está a entrar no quarto ano do Desafio HBCU (Historically Black Colleges and Universities), uma competição de escolas de negócios, em parceria com a National HBCU Business Deans Roundtable. Até agora, 44 escolas participaram no desafio, oferecendo aos alunos a oportunidade de desenvolver soluções para problemas reais de negócios da HP e ganhar experiência prática na indústria.

No início deste ano, tecnológica comprometeu-se novamente com o CEO Action for Diversity and Inclusion, o maior compromisso orientado para CEOs, que visa promover a diversidade e a inclusão no local de trabalho. A HP Foundation prometeu 500 mil dólares às organizações de justiça social para ajudar a enfrentar e combater o racismo e a desigualdade sistémica na sociedade.

Está ainda a melhorar as suas plataformas para destacar essas questões globalmente. Em parceria com a Girl Rising, uma organização global sem fins lucrativos dedicada à erradicação da pobreza que oferece educação a mulheres, lançará o My Story: The 2020 Storytelling Challenge. O desafio trará à vida exemplos de jovens líderes que lutam por direitos humanos, justiça racial, igualdade de género e avanço da educação para raparigas.

Trezentos milhões de toneladas de plástico são produzidas anualmente em todo o mundo, metade das quais são de utilização única e 91% não são recicladas. As embalagens também estão a ser mais procuradas, como resultado do COVID-19, representando uma parcela significativa do total de resíduos produzidos, afetando o nosso planeta e pessoas. Por isso, a HP anunciou uma nova meta para eliminar 75% das embalagens plásticas de utilização única até 2025. Esta meta centra-se nas embalagens de equipamentos e baseia-se na adoção de embalagens de almofadas de fibra moldada.

A estratégia de embalagem ambiental visa eliminar plásticos e materiais desnecessários, sempre que possível. Em 2019, a HP decidiu eliminar as presilhas plásticas do cabo de alimentação e as sacolas plásticas de documentos nas embalagens de hardware e mudou para alternativas mais recicláveis, tendo como base o papel. Para acelerar essa mudança, a empresa está a migrar de almofadas de embalagens de espuma de plástico para polpa moldada 100% reciclada para portáteis, desktops e monitores. No ano passado, a transição para as almofadas em fibra moldada das embalagens de Personal Systems eliminou 933 toneladas de espuma plástica, difícil de reciclar.

No que diz respeito à Impressão, a HP reduziu a espuma de plástico em 40% e eliminou mais de 95 toneladas de material em 2019, apenas redesenhando a embalagem de vários modelos de impressoras. Lançada em 2019, a HP Tango Terra é a primeira impressora da HP com uma embalagem com zero plástico, usando uma combinação de almofadas de fibra moldada e papel de vidro para substituir a espuma e os típicos sacos de plástico. Na impressão 3D, anunciou recentemente a disponibilidade de um novo material chamado polipropileno (PP) que ajuda a reduzir o desperdício, permitindo até 100% de reutilização do excesso de pó.

A HP está também a acelerar o seu uso de conteúdos de plástico reciclado em todo o portfólio de produtos de sistemas pessoais e de impressão. No ano passado, usou mais de 25 mil toneladas de plástico reciclado pós-consumo em produtos de impressão e sistemas pessoais, ou o equivalente a 9% de plásticos usados e está a trabalhar para aumentar esse valor para 30% até 2025. Adquiriu 1,7 milhões de libras (mais de 60 milhões de garrafas) de plástico oceânico e lançou o primeiro portátil, monitor, estação de trabalho móvel e Chromebook corporativo fabricados com plásticos recuperados do oceano. Com 111 produtos Gold e 268 Silver registados na EPEAT - mais do que qualquer outra empresa do setor de TI -, a HP possui o portfólio de PCs4 mais sustentável do mundo.

A HP tem como objetivo regenerar sistemas naturais que sustentam a vida, com foco na proteção e recuperação de florestas globais. Depois de terminar a colaboração com empresas que contribuem para a desflorestação da sua cadeia de fornecedores em 2016, prepara-se para fazer o mesmo com as embalagens de produtos em papel até ao final de 2020.


Em 2019, a HP anunciou a sua parceria com o World Wildlife Fund (WWF). Juntos querem restaurar, proteger e gerir com responsabilidade 200 mil acres de floresta, uma área igual ao tamanho da cidade de Nova York. Durante cinco anos, a HP está contribuirá com 11 milhões de dólares para o WWF para restaurar parte da Mata Atlântica criticamente ameaçada no Brasil. Na China, o projeto está focado em aumentar a área de plantações florestais de forma sustentável para melhorar a resiliência e biodiversidade. Nos dois países, com a ajuda do WWF, a HP está a avançar na ciência florestal para quantificar os benefícios da natureza das atividades de restauração florestal.

Foi ainda lançado o HP Sustainable Forest Collaborative e esses esforços inspiraram a Arbor Day Foundation, a Chenming Paper, a Domtar e a New Leaf Paper a unir-se a estes esforços e a acelerar a restauração florestal. A colaboração entre indústrias mostrará abordagens científicas e viáveis para manter os ecossistemas florestais saudáveis. Juntos, a HP e os membros da colaboração procuram outros para se juntar ao movimento de florestas e biodiversidade crescentes para as gerações futuras.

Sendo a educação de qualidade é um direito humano e a tecnologia pode ser um grande equalizador, desde 2015 que a HP apoiou mais de 28 milhões de estudantes e alunos adultos, suportando o seu progresso com o objetivo de obter melhores resultados de aprendizagem para 100 milhões de pessoas até 2025. O HP LIFE, um programa da HP Foundation, dá formação nas principais competências empresariais e de TI para empresários e estudantes gratuitamente através de aulas online, offline e pessoalmente. O HP LIFE alcançou mais de 800.000 utilizadores desde 2012 e está no caminho de atingir a meta de registar um milhão de utilizadores até 2025, versus 2016.

O acesso inclusivo a tecnologias, ferramentas e conteúdos que podem promover a educação das pessoas em todos os lugares é uma estratégia essencial para o Impacto Sustentável da HP. Em 2019, 6,3 milhões de computadores pessoais foram colocados em escolas em todo o mundo. Durante o COVID-19, muitas escolas foram fechadas e a mudança para a aprendizagem móvel e online foi um desafio para muitos estudantes que não têm acesso a dispositivos ou uma ligação fiável à Internet para aprender em casa. Em resposta, a HP lançou recentemente o HP Turn to Learn, um programa que oferece conteúdo educativo focado principalmente em conteúdos STEM e ambientais para distritos escolares dos EUA, em parceria com a TIME for Kids, a NASA e a Britannica. Como parte da ampla gama de ações que a HP está a adotar para combater o COVID-19, incluindo mais de 2,3 milhões de peças impressas em 3D, como protetores faciais, máscaras, compressas nasais e muito mais para hospitais, a HP e a HP Foundation estão comprometidas em doar cerca de 8 milhões de dólares em produtos e subsídios para apoiar a aprendizagem combinada e as comunidades locais.


Samsung mantém liderança no 3º trimestre, seguida da Huawei


Nova geração vai abrir um mundo de possibilidades interessantes para a indústria


Com o objetivo de criar um ecossistema de operações de trabalho remoto para empresas


Estudo recomenda soluções para reduzir o risco das organizações