Robôs vão assumir mais de 50 milhões de postos de trabalho até 2030

2020-06-26 Mais de 90 milhões de trabalhadores em toda a Europa, no equivalente a 40% do total da força de trabalho, terão de desenvolver novas competências nos próximos dez anos. É que a crescente automação dos postos de trabalho vai colocar 51 milhões de postos de trabalho em risco até 2030, alerta um novo relatório da McKinsey.

Assim, antecipa-se que cerca de 22% das atividades desenvolvidas atualmente pelas pessoas em toda a União Europeia possam vir a ser automatizadas até 2030. E o atual contexto de pandemia veio acelerar ainda mais esta realidade, pois fez com que grande parte dos postos de trabalho ficassem em risco, com devido aos processos de automação. Atendimento ao cliente e vendas, serviços alimentares e o setor imobiliário são os três grupos mais vulneráveis.

Por isso, a McKinsey considera ser fundamental assegurar que os funcionários adquiram novas competências que lhes permitirão ultrapassar esta realidade. Há capacidades que as pessoas vão continua a fazer muito melhor do que as máquinas e que serão os postos de trabalho nos próximos anos, mas que terão que estar ligados a capacidades sociais, emocionais e c cognitivas. O que significa saber trabalhar em grupo, treinar, ensinar e gerir, mas também saber revolver problemas e ter pensamento crítico".

Estima-se que a procura de competências socias vai crescer até um terço, uma vez que os trabalhadores humanos se vão concentrar em papéis que as máquinas não conseguem cumprir e que requerem interação, cuidados, ensino e formação, bem como a gestão de equipas. O trabalho mostra ainda que o crescimento do emprego noutros setores compensará em grande medida a perda global de postos de trabalho.


Com uma experiência digital conectada, controlado através de um smartphone


Postmates opera no mercado norte-americano


Tecnológica apresenta Relatório de Impacto Sustentável e novas metas para 2025


Com regulamento que facilita transição para a nova geração móvel


Para reforçar atividades terá investido 180 milhões de dólares


No âmbito de uma mudança estratégica na rede de retalho


Fabricante reforça posição no ranking BrandZ


Gigante terá dado mais de 1,2 mil milhões pela startup