Spotify prepara caminho para entrar na bolsa

2017-03-16 A plataforma digital de música está prestes a fechar novos acordos com algumas das maiores editoras mundiais para reduzir os royalties. Estes novos contratos visam, segundo o Finantial Times, abrir caminho para o lançamento de uma oferta pública inicial.

O jornal adianta que as negociações decorrem há meses, no sentido de reduzir os royalties que o Spotify paga às editoras para poder disponibilizar os seus conteúdos. Em troca, a dona do serviço de streaming de música restringirá os maiores lançamentos de álbuns à versão premium, que requer o pagamento de uma mensalidade. A cedência responde às reivindicações de várias estrelas, como a cantora Taylor Swift, que decidiu mesmo retirar todas as suas músicas da plataforma em 2014.
A concretização destes acordos a longo prazo pretende tornar o Spotify mais atrativo para os investidores, uma vez que pode representar um crescimento mais rápido do número de subscritores da modalidade paga, abrindo caminho para o IPO.

Na sequência da última ronda de investimentos, o Spotify está avaliado em 8,5 mil milhões de dólares. Apesar de ter registado perdas de 173 milhões de euros em 2015, com as receitas a aumentarem para 1,95 mil milhões de euros. É que o teve um aumento das taxas de distribuição das músicas para 1,63 mil milhões de euros. Só 30 milhões das músicas presentes na plataforma pertencem à Universal, Sony e Warner, editoras que controlam a maior percentagem de músicas distribuídas e têm uma pequena participação no Sportify.

Recentemente, o Spotify anunciou ter alcançado o marco de 50 milhões de subscritores da versão premium, serviço que no ano passado ganhou 20 milhões de novos clientes desta modalidade. A rival Apple tem apenas um total de 20 milhões de subscritores no Apple Music.

2017-06-21 | Atualidade Nacional

No âmbito da Watson Portugal Summit 2017


2017-06-21 | Atualidade Nacional

João Cadete de Matos é o nome escolhido para liderar regulador


Fundador da plataforma mantém-se na administração


Desenhada para ser intuitiva, reconhece necessidades, mitiga ameaças e aprende de forma continuada


2017-06-19 | Breves do Sector

Prevendo atingir os 70 colaboradores ainda em 2017