Tecnologia Schneider permite prolongar recursos do planeta

2018-07-30 O Dia da Sobrecarga da Terra, o ‘Overshoot Day’, terá lugar este ano a 1 de agosto. Este será o dia em que a humanidade terá consumido todos os recursos naturais que o planeta pode regenerar, de forma natural, no prazo de um ano. O primeiro cálculo da data foi em 1986 e, a partir deste ano, a data tem vindo a antecipar-se continuadamente. Mas este dia pode ser adiado em pelo menos 21 dias, de acordo com a Schneider Electric. Se 100% dos edifícios, fábricas, e infraestruturas de data centers existentes estiverem equipados com tecnologias de eficiência energética e a sua principal fonte forem as energias renováveis, será possível adiar significativamente a data.

O grupo de transformação digital em gestão de energia e automação, acredita que esta situação é reversível. Para criar sensibilização sobre este tema e conseguir mover o dia, a Schneider estabeleceu um acordo internacional, em finais de 2017, com a Global Footprint Network, organização mundial pioneira ao nível da investigação e medição da pegada ecológica. De acordo com os seus cálculos, a humanidade explora o equivalente a 1,7 planetas por ano, devido à sobreexploração dos recursos naturais, entre eles a sobrepesca, a desflorestação e a emissão de mais dióxido de carbono do que a atmosfera pode absorver.

A Global Footprint Network assegura que, se cada pessoa conseguir adiar a sua data pessoal em 5 dias, a terra poderia regressar ao seu estado inicial em 2050. Para sensibilizar o público relativamente a este tema, a organização criou a campanha mundial #MoveTheDate, à qual a Schneider Electric se juntou, que divulga conselhos práticos para que todas as pessoas possam reduzir a sua pegada ecológica.

“A missão da Schneider Electric está alinhada com o nosso objetivo em ajudar a humanidade a reduzir a sua pegada ecológica. Empresas líderes como a Schneider estão a criar soluções, desenvolvendo produtos e processos que utilizam os recursos naturais de forma mais eficiente, reduzindo o seu uso global”, afirma Mathis Wackernagel, CEO da Global Footprint Network.

No seu estudo Living with Finite Resources: Strategies for sustainable resource utilization”, a Schneider Electric analisa as possibilidades existentes para o desenvolvimento sustentável das empresas, propondo soluções que permitam um crescimento sustentável que equilibre a produtividade e a rentabilidade com o planeta e os seus habitantes. Os avanços tecnológicos, a inovação, a aposta cada vez maior na economia circular e nas fontes de energia renováveis são os principais agentes da mudança que a Schneider aponta no seu estudo para conseguir reduzir a pegada ecológica das empresas.

Neste sentido, a empresa francesa aposta em soluções como plataformas conectadas, abertas e interoperáveis, que podem contribuir com 50% de eficiência energética adicional, assim como reduzir os custos de energia em 30%.
Durante mais de 10 anos, a Schneider Electric comprometeu-se na redução de utilização de recursos naturais nas suas operações próprias e dos seus clientes. O seu plano estratégico 2018-2020 tem como objetivo conseguir diminuir as suas emissões de carbono em 100 milhões de toneladas até 2020, e que 80% da sua energia provenha de fontes renováveis. No início do ano, anunciou um acordo de colaboração com a ONG Sustainable Energy for All (SEforALL), reforçando o seu compromisso para fornecer acesso universal a uma energia mais limpa e contribuir para a erradicação da pobreza energética.

2018-12-12 | Atualidade Nacional

Como umd os maiores parceiros mundiais


2018-12-12 | Atualidade Nacional

2ª Conferência do Fórum Permanente para as Competências Digitais


Novas regras reforçam segurança no digital


Deverá ser uma das maiores operações de sempre


2018-12-12 | Breves do Sector

Empresa será uma subsidiária da plataforma


2018-12-12 | Breves do Sector

Para distinguir propostas tecnológicas inovadoras e disruptivas