Vendas de smartphones na China caem 10,5% em 2018

2019-02-21 As vendas de smartphones no mercado chinês recuaram 10,5% no ano passado, impactadas negativamente pela desaceleração da economia local e pelos ciclos mais longos de substituição dos dispositivos. No total, foram vendidas 397,7 milhões de unidades, de acordo com números da IDC. Apple e Xiaomi foram as fabricantes que mais perdas registaram, num mercado liderado pela Huawei, que está a reforçar cada vez mais as suas vendas.

A fabricante chinesa, que está a braços com a polémica mundial e eventuais boicotes à sua entrada em vários países, depois dos Estados Unidos terem avançado, ficou com 26,4% de quota de mercado, tendo registado uma subida de 15,5% nas vendas face a 2017. Segue-se a Oppo, com 19,8% de quota, apesar da quebra de 2%, e a Vivo, com 19,1% do mercado, tendo subido as vendas em 10,8%.

A chinesa Xiaomi e a norte-americana Apple estão nas 4ª e 5ª posição, com quotas de mercado de 13,1% e de 9,1%, respetivamente. A primeira debateu-se com problemas com a sua gama de produtos e uma reestruturação interna, a segunda viu a procura descer em consequência dos elevados preços dos iPhones, face aos praticados no competitivo mercado local.

Quanto a perspetivas para 2019, não são animadoras, uma vez que o mercado está saturado e o ritmo de crescimento da economia chinesa está a desacelerar. No ano passado, a segunda maior economia do mundo cresceu 6,6%, o ritmo mais lento dos últimos 28 anos.
 


2019-03-22 | Atualidade Nacional

Em parceria com NOVA, Politécnico do Porto, Inesc e Beta-i


Serviços comerciais têm lançamento para início de abril


2019-03-25 | Breves do Sector

Stadia poderá chegar no final do ano a alguns mercados


2019-03-25 | Breves do Sector

Para transformar operações e reduzir custos