10ª edição do Lisbon Challenge decorre até 8 de agosto

2018-07-20 As candidaturas para a edição de Outono de 2018 do Lisbon Challenge, programa internacional de aceleração de 3 meses para startups ambiciosas de base tecnológica, já arrancaram e decorrem até 9 de setembro. E há novidades no modelo de investimento, que foi repensado, assim como no processo de seleção.

As statups selecionadas garantem a entrada neste prestigiado programa de aceleração, que tem lugar ao longo de 10 semanas (de 10 de outubro a 14 de dezembro), e está dividido em 4 fases: validação, produto, crescimento e investimento. O programa culmina com um Demo Day, onde as várias equipas apresentam as suas soluções, e partilham um pouco do processo pelo qual passaram até à versão final.

Uma das principais novidades está no novo modelo de investimento: as startups selecionadas recebem logo à partida 15 mil euros, em troca de 2% do seu capital, para poderem estar completamente focadas no desenvolvimento do produto, sem preocupações financeiras. Mais tarde, há a opção de investir até mais 55 mil euros por 5% do capital, para as que mais se destacarem no programa.

Outra das maiores alterações prende-se com o processo de seleção. Tendo em conta que o melhor modelo para encontrar as startups certas para investir está na forma se identificam e escolhem as equipas certas, será dada prioridade aos empreendedores que apresentem características de diversidade, transparência, confiança e consciência social. Pretende-se ainda pessoas com projetos que podem gerar benefícios paralelos e causar um impacto positivo adicional na sociedade.

"A última edição do Lisbon Challenge foi das mais bem-sucedidas de sempre, 85% das startups receberam propostas de investimento dos parceiros do Lisbon Challenge, um valor que confirma o posicionamento internacional do programa. Os resultados refletem uma aposta na combinação de dois elementos chave: a capacitação e oportunidades de interação proporcionados pelo programa; e o esforço em criar um ecossistema de investimento, que incentiva o coinvestimento entre investidores portugueses, principalmente em rondas pre-seed, e potencia o coinvestimento com investidores internacionais - principalmente em rondas seed", diz Pedro Rocha Vieira, CEO da Beta-i.

Os parceiros de investimento são a LC Ventures, sociedade de capital de risco associada à Beta-i (cofinanciada pelo Fundo de Capital e Quase Capital, Portugal 2020 e União Europeia, através do FEDER), Red Angels e a SONAE/Bright Pixel, sendo que o programa também conta com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa, Turismo de Portugal, Microsoft e Google, na condição de Parceiros de Aceleração.

Este programa de 10 semanas, considerado no ano passado o 2º acelerador mais dinâmico da Europa pela Fundacity, é um dos mais prestigiados e intensos programas internacionais para startups que queiram focar-se no desenvolvimento e validação do produto.

O Lisbon Challenge arrancou em 2013 e, ao longo das suas nove edições, contou já com a participação de 220 startups, de mais de 50 países. As equipas que passaram por este programa somam algo como 65 milhões de euros de investimento total (das nossas startups ‘Alumni', 40% recebeu investimento, sendo que 4 delas entraram no YCombinator, 4 no TechStars e 2 no Seedcamp).

2018-12-12 | Atualidade Nacional

Como umd os maiores parceiros mundiais


2018-12-12 | Atualidade Nacional

2ª Conferência do Fórum Permanente para as Competências Digitais


Novas regras reforçam segurança no digital


Deverá ser uma das maiores operações de sempre


2018-12-12 | Breves do Sector

Empresa será uma subsidiária da plataforma


2018-12-12 | Breves do Sector

Para distinguir propostas tecnológicas inovadoras e disruptivas