Airbnb teve impacto económico de 2 mil milhões em Portugal

2019-07-02 A plataforma de alojamentos Airbnb gerou em 2018 um impacto económico direto de 2 mil milhões de euros em Portugal, que foi o 10.º país com o maior impacto, numa lista de 30 países, liderada pelos Estados Unidos, França e Espanha.

Os números foram anunciados pela empresa, que avançou com um valor para o seu impacto económico direto mundial da ordem dos 86 mil milhões de euros. Estes valores foram encontrados na sequência de um inquérito realizado pela plataforma online junto dos viajantes e dos anfitriões e da análise de dados internos.

O inquérito da Airbnb no mercado nacional abrangeu mais de 5.500 contas de anfitriões e hóspedes de alojamentos. Cerca de 60% dos anfitriões portugueses na plataforma afirmam que partilhar o seu lar permitiu-lhes poder viver nas suas casas. 78% dizem recomendar atividades culturais aos hóspedes - como a visita a museus, festivais ou locais históricos.

Já os hóspedes que se alojam através da Airbnb em Portugal afirmam que uma média de 41% dos seus gastos são efetuados no bairro onde ficam alojados e que usar a plataforma teve um impacto na duração da sua estadia, alargando, em média, 5,1 dias a sua viagem. Em 85% dos casos, os hóspedes afirmam que uma localização mais conveniente que a dos hotéis influi na sua decisão de usar a Airbnb e 69% que na sua decisão de usar a plataforma teve influência em quererem explorar um bairro em concreto.

O impacto económico direto estimado resulta da soma das receitas obtidas pelos anfitriões e o gasto estimado dos hóspedes. A plataforma diz que os anfitriões ficam com 97% do preço fixado por eles próprios ao partilhar o seu espaço e que, desde que a Airbnb foi fundada, receberam mais de 57 mil milhões de euros em todo o mundo.

2019-11-13 | Atualidade Nacional

Grupo sobe receitas e clientes em todos os segmentos de mercado


2019-11-13 | Atualidade Nacional

Com crescimento nos negócios fixo e móvel


Negócio deverá ficar fechado em 2020


Em causa está a preferência dos consumidores pelo online