Altice faz 1ª demonstração 5G pré-comercial com Huawei

2018-07-05 A Altice Portugal concretizou a primeira demonstração em ambiente de rede comercial e com terminal pré-comercial 5G a funcionar na banda dos 3,6 GHz, com recurso a um equipamento 5G da Huawei, que alcançou velocidades superiores a 1,5Gbps.

A demonstração consistiu na ativação de um ecossistema pré-comercial completo de 5G, do terminal de cliente até às plataformas de serviço. O equipamento terminal (router) foi desde logo desenvolvido para suportar a nova tecnologia 5G, que consiste numa nova rede rádio e numa nova rede de controlo 5G, bem como na utilização de um conjunto de antenas ativas. Estas antenas são mais complexas e inteligentes do que as antenas normalmente instaladas nas redes móveis, integrando cada uma delas 64 recetores e 64 emissores de sinal (beam forming e Massive MIMO), o que visa uma melhoria significativa da qualidade da transmissão e por consequência da qualidade do serviço prestado, explica a Altice em comunicado. 

“Liderar o processo de desenvolvimento e implementação do 5G em Portugal é uma prioridade estratégica para a Altice Portugal, que pretende antecipar – sempre – a entrega aos clientes de serviços promotores de uma maior qualidade de vida, transformadores da sua capacidade de comunicar, de estreitar distâncias, de criar proximidade”, refere Alexandre Fonseca, Presidente Executivo da Altice Portugal.

“O 5G será uma rede que permitirá inúmeras possibilidades para um mundo verdadeiramente conectado, no qual a Huawei acredita e está totalmente comprometida em ajudar a construir. Há muito presente no mercado português, a Huawei está empenhada em trazer as mais recentes e avançadas tecnologias para Portugal, contribuindo para uma sociedade melhor conectada em Portugal”, acrescenta Chris Lu, CEO da Huawei em Portugal.

O operador ressalta que o projeto de transformação da sua rede DWDM, que materializa a capacitação das suas infraestruturas para a introdução do 5G, acaba de ser distinguido na categoria Most Innovative 200G/400G Deployment, no âmbito do Huawei Optical Innovation Forum 2018, com 16 áreas distintas a premiar operadores de todo o mundo.

A tecnologia 5G apresenta-se como um novo paradigma nas redes de telecomunicações, ao pretender alargar o seu âmbito de aplicação a casos de uso atualmente suportados por redes privadas e com fios. Para além de maiores débitos (20Gbps) e maior mobilidade (500Km/h), o 5G deverá garantir tempos de resposta menores (latências de 1ms) e permitir um grande número de dispositivos ligados (1 milhão/Km²).

Em parceria com a Huawei, a Altice Portugal já tinha efetuado durante a Web Summit 2016 a primeira demonstração em Portugal, e uma das primeiras no mundo, de um débito de 1,7 Gbps sobre uma rede móvel 4,5G. Esta velocidade superou 5 vezes a velocidade das redes móveis e 2 vezes a velocidade premium de fibra ótica à data da demonstração. Em fevereiro do ano passado, a empresa celebrou um Memorando de Entendimento com a Ericsson Telecomunicações para a aceleração do 5G, tendo ambos os players vindo desde então a dinamizar grupos de trabalho, reflexão e coordenação de iniciativas de I&D, pilotos e demonstração de equipamentos e aplicações 5G. E na Web Summit 2017, foi demonstrado em ambiente comercial o potencial do 4G+, ao atingir velocidades de débito até 1Gbps num conjunto de terminais topo de gama e de última geração de vários fabricantes, como o Huawei Mate10 Pro, voltando a quebrar barreiras de velocidade de transferências de dados móveis na rede LTE.

Mais recentemente, em fevereiro de 2018, a Altice Portugal e a Huawei Tech. Portugal formalizaram, no Mobile World Congress 2018, a assinatura de um Memorando de Entendimento para impulsionar o desenvolvimento e a implementação do 5G em Portugal. Esta colaboração, já iniciada em 2016, consolidou o compromisso na implementação e no desenvolvimento de um ecossistema 5G, ao vivo, para testar aplicações e serviços alavancados pela tecnologia 5G, materializando um passo fundamental para o lançamento comercial da rede 5G na Altice Portugal.

No mesmo mês, foi lançado o Golabs.IoT, um dos pilares fundamentais do ecossistema de desenvolvimento e implementação de serviços para redes 5G, com um conceito completamente diferente e inovador dos laboratórios atuais, por ser baseado na ideia de "laboratório aberto” e potenciador de um contexto de desenvolvimento e de trabalho cooperativo entre operadores, startups, comunidade académica e indústria.

No âmbito desta demonstração, Alexandre Fonseca manifestou a sua preocupação o anúncio da Anacom que vai obrigar utilizadores a ressintonizarem os canais da TDT. E defendeu que o futuro leilão de espectro do 5G “não pode servir para financiar reguladores nem estados”, tendo em conta que o investimento na rede será extremamente avultado.
 
 

2018-11-15 | Atualidade Nacional

Clientes de 4G crescem mais de 28%


Para responder ao pico de compras do Natal


Negócio deverá estar concluído no 1º semestre de 2019


2018-11-15 | Breves do Sector

Para simplificar o dia a dia das famílias portuguesas


2018-11-12 | Breves do Sector

Parceria para o segmento empresarial