AP aposta na inteligência artificial e ciência dos dados

2018-10-24 Promover o conhecimento aliado à inovação e modernização dos serviços públicos e o desenvolvimento da investigação científica para promover a execução das políticas públicas em benefício dos cidadãos é o objetivo de um conjunto de 15 projetos que acabam de ser apresentados pelo Executivo. Serão financiados pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia num total de 3,8 milhões de euros, sendo desenvolvidos em cooperação entre instituições científicas e entidades da AP.

Os projetos foram desenvolvidos no âmbito do eixo 5 (Investigação) da Iniciativa Nacional Competências Digitais e.2030 (INCoDe.2030), eixo que visa aumentar e reforçar as competências digitais da população. E foram apresentados pela ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Maria Manuel Leitão Marques, e o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor.

Há já vários projetos em curso, que envolvem parcerias entre organismos públicos, autoridades, universidades e instituições científicas, que trabalharão dados disponibilizados à comunidade científica. Só na área da saúde, destacam-se:

- Projeto “Utilização de Inteligência Artificial para potencializar o Rastreio Teledermatológico”, desenvolvido pela Associação Fraunhofer Portugal Research, em parceria com a Administração dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde.

- Projeto “Biomarcadores neuroimagiológicos para o Diagnóstico de doenças Neuropsiquiátricas, com recurso a Inteligência Artificial”, da Associação para a Investigação e Desenvolvimento de Ciências, com parceiros como o Hospital Fernando da Fonseca, Hospital da Senhora da Oliveira, em Guimarães, Centro Hospitalar Lisboa Norte e os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde.

- Projeto “Identificação e Previsão de Procura de Urgências Hospitalares”, da Fundação Calouste Gulbenkian, tem a parceria Administração dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde.

- Projeto “Data2Help: Ciência de Dados para Otimização de Serviços de Emergência Médica”, da responsabilidade do INESC Lisboa, em parceria com o Instituto Nacional de Emergência Médica.

- Projeto “ICDS4IM - Suporte Inteligente à Decisão Clínica em Medicina Intensiva”, desenvolvido pela Universidade do Minho, com o parceiro Centro Hospital do Porto.

- E o projeto “Prever o risco de complicações do tratamento cirúrgico e definir o prognóstico em pacientes com cancro através da integração de dados clínicos e patológicos, desenvolvido pelo Instituto de Engenharia Mecânica em parceria com o Instituto Português de Oncologia do Porto Francisco Gentil.

Há ainda outos projetos em áreas como a água, mobilidade e educação, entre outros:

- Projeto “Sistema Inteligente de Dados de Água”, do Instituto Politécnico de Setúbal, em parceria com a Câmara Municipal do Barreiro, empresa Municipal de Água e Saneamento de Beja e da Infraquinta.

- Projeto “Deteção precoce de avarias de veículos de transporte público em ambiente operacional”, do INESC com o Metro do Porto.

- Projeto “Modelação e predição de acidentes de viação no distrito de Setúbal”, desenvolvido pela Universidade de Évora, em parceria com o Comando territorial de Setúbal da Guarda Nacional Republicana.

- Projeto ”PSTERS - Sistema de Reconhecimento Terrestre do IPSentinel”, do Instituto de Desenvolvimento de Novas Tecnologias, tem a parceria da Direção-Geral do Território.

- Projeto “Modelação do fluxo de estudantes no sistema de ensino Português”, desenvolvido pela Associação para a Investigação e Desenvolvimento de Ciências, com a parceria da Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência.

- Projeto “Compreender os determinantes do desempenho académico: evidências do sistema de ensino secundário Português»” do Instituto Superior de Estatística e Gestão de Informação, em parceria com a Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência.

- Projeto “iLU: Aprendizagem Avançada em Dados Urbanos com Contexto Situacional para Optimização da Mobilidade nas Cidades2, do INESC e da Câmara Municipal de Lisboa.

- Projeto “EPISA—Entity and Property Inference for Semantic Archive”, do INESC em parceria com a Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas.

- E o projeto “Deteção de padrões de adição em jogo online”, desenvolvido pelo Instituto Superior de Estatística e Gestão de Informação com o Turismo de Portugal.

De acordo com afirmações de Manuel Heitor, o Governo estima um período de 18 meses para o desenvolvimento dos projetos, podendo criar novos postos de trabalho.

2018-11-09 | Atualidade Nacional

Terminou mais uma edição do maior encontro europeu de inovação e empreendedorismo


2018-11-09 | Atualidade Nacional

No âmbito do acordo a 10 anos assinado em outubro


Negócio deverá estar concluído no 1º semestre de 2019


Para financiar investimento em startups tecnológicas


2018-11-12 | Breves do Sector

Parceria para o segmento empresarial


2018-11-05 | Breves do Sector

Grupo é parceiro tecnológico do evento pelo 3º ano consecutivo