Gastos nas TIC vão crescer 1,5% ao ano até 2022

2019-02-25 O mercado das TIC em Portugal vai alcançar este ano os 8,24 mil milhões de euros em gastos, depois de ter superado em 2018 a fasquia dos 8 mil milhões. Até 2022, deverá ultrapassar os 8,5 mil milhões, apresentando um crescimento anual da ordem dos 1,5%. As previsões do estudo “Visão 360° do Mercado TIC e Digital em Portugal – Quotas de Mercado, Dimensão do Mercado e Previsões 2018 – 2020”, um trabalho da IDC cujas primeiras conclusões acabam de ser divulgadas.

São os gastos com TI que vão dinamizar este crescimento, particularmente no que respeita ao software (incluem SaaS e PaaS), que entre 2017 e 2022 deverá apresentar um crescimento anual de 5%. Seguem-se os Business Services, com um reforço anual de 3,5%, os IT Services, com 1,9%, e o hardware (incluem infraestrutura física, IaaS e dispositivos), com 1,2%.

Já no que respeita aos serviços de telecomunicações, que incluem o consumo de particulares, a taxa de crescimento anual será da ordem dos 0,5%, influenciada pelo decréscimo acentuado dos serviços de vos (fixa e móvel) e pelo crescimento significativo dos serviços de dados móveis.

No total, em 2022, os gastos com TI deverão representar 55,4% do total dos gastos previstos para esse ano, de 8,5 mil milhões de euros, enquanto os serviços de telecomunicações representarão os restantes 44,6%.

O relatório da IDC estima quer a maioria dos empresários portugueses (71%) vai investir mais em projetos de transformação digital em 2019, nomeadamente na inovação de produtos, serviços e processos de negócio e no envolvimento e fidelização de clientes, aumentar receitas e inovar os processos de negócio, para garantir ganhos de competitividade.

De entre as funções de suporte ao negócio, as áreas de maior investimento serão: operações específicas do negócio (35% do mercado), serviço ao cliente (13%), marketing e vendas (13%), finanças e contabilidade (9%), cadeia de abastecimento (9%) e recursos humanos (8%). E as áreas de maior crescimento serão as de marketing, cadeia de abastecimento e segurança e risco, com taxas de crescimento anuais compostas superiores a 5% no período de 2017-2022.

Cloud, Internet of Things, big data e cibersegurança serão as tecnologias mais utilizadas, com taxas anuais de crescimento da ordem dos 7% entre 2017 e 2022, refere o estudo. O crescimento será liderado pelos setores do retalho, saúde, seguros, banca, indústria e serviços profissionais.

Estima-se que depois de alguns anos de experimentação, o mercado de soluções de IoT esteja na etapa crítica de adoção, sendo a sua adoção uma realidade que atravessa vários setores. Prevê-se uma taxa de crescimento do total de gastos nesta área de cerca de 14% entre 2017 e 2022, alcançando quase 2,2 mil milhões em 2022.

Já no que respeita ao big data e analítica, a taxa de crescimento anual deverá ser de 9%, alcançando os 297 milhões de euros em 2022 no mercado nacional. Escalar as soluções analíticas e colocar os dados ao serviço do negócio terá que ser o caminho, ganhando-se capacidade de processamento e de armazenamento de dados.

Na área da cibersegurança, estima-se que os gastos apresentam a uma taxa anual de 7%, alcançando os 181 milhões de euros em 2022. Esta terá que ser, cada vez mais, uma prioridade, tendo em conta a proliferação das aplicações os serviços cloud de vários fornecedores, os vários tipos de equipamentos de acesso e o crescimento exponencial dos dados, a par da sofisticação cada vez maior dos ataques.

Adianta-se ainda que a tecnologia tem um papel cada vez maior na transformação dos negócios das organizações e que os gastos em TIC vão centrar-se muito mais nas áreas que suportam os processos de negócio específicos de cada indústria. Mais de um quarto das organizações nacionais já posem ser consideradas de ‘Digital Player’ e um terço de ‘Digital Explorer’.

O estudo aborda o mercado de Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) e Transformação Digital (DX) em Portugal, incluindo previsões IDC sobre a evolução do investimento e quotas de mercado dos principais fornecedores. O relatório completo será apresentado no IDC Futurescape 2019, a 21 de março.
 

2019-03-22 | Atualidade Nacional

Em parceria com NOVA, Politécnico do Porto, Inesc e Beta-i


Serviços comerciais têm lançamento para início de abril


2019-03-25 | Breves do Sector

Stadia poderá chegar no final do ano a alguns mercados


2019-03-25 | Breves do Sector

Para transformar operações e reduzir custos