Lisbon Challenge’18 já arrancou

2018-04-09 A edição de 2018 do Lisbon Challenge, um programa internacional de aceleração  de 3 meses para startups ambiciosas de base tecnológica, já arrancou. São 8 as startups selecionadas para a fase de aceleração do programa, que já inclui investimento. Na fase de candidaturas, este programa recebeu 209 inscrições, 82% das quais internacionais, de 45 países diferentes.

As startups selecionadas para esta fase são a Gofact (faturação, despesas e contas bancárias, tudo numa única plataforma);  Honest Make (plataforma SaaS que permite aos retalhistas mostrar e vender os seus produtos através de um canal de conversação com os clientes finais); Predict Churn (plataforma analítica que antecipa a possibilidade de cancelamento de serviços de subscrição e fidelização); SCUBIC (apoio à gestão de energia para utilities de água); Shareacar (comunidade  peer to peer de aluguer de automóveis, uma espécie de Airbnb para carros): Social Grid (um marketplace que ajuda marcas e agências a encontrar e gerir os influenciadores digitais certos, e à escala certa); Triad Health AI (plataforma para exercício, monitorização de saúde e atividades e rotinas diárias); e Wall-i (solução web para ajudar gestores de marketing a gerir campanhas digitais com audiências reais e métricas inteligentes).

Estas startups garantiram a sua entrada neste programa de aceleração, que tem lugar ao longo de 10 semanas, e está divido em 4 fases: Validação, Produto, Crescimento e Investimento. Depois deste arranque, os próximos marcos relevantes serão:  27 abril - Tech Day, powered by Bright Pixel; 30 abril - Google Sessions;  4 maio - Product Demo Day; 6 junho - Investors Pitch, no Lisbon Investment Summit: e 15 junho – Program Finale, powered by Microsoft.

“O Lisbon Challenge é um programa de aceleração de startups, baseado em Lisboa, e que tem como objetivo capacitar as empresas com as ferramentas ideais para competir no mercado digital global. Este ano o focus está mais na mais deep tech, uma vez que temos um lote mais maduro de candidatos, que nos permite olhar para questões mais complexas e impactantes, como a inteligência artificial. O programa migrou de um formato non-equity, sem qualquer tomada de participações ou investimento, para um acelerador associado a um fundo de investimento, e isso também guia muito a nossa estratégia de seleção”, explica Pedro Rocha Vieira, CEO da Beta-i.

As startups selecionadas recebem logo à partida 10 mil euros, em troca de 1,5% do seu capital, para poderem estar completamente focadas no desenvolvimento do produto, sem preocupações financeiras. Este montante foi assegurado pela LC Ventures, sociedade de capital de risco associada à Beta-i (co-financiada pelo Fundo de Capital e Quase Capital, Portugal 2020 e União Europeia, através do FEDER).

A LC Ventures tem sob gestão mais de 11 milhões de euros, distribuídos por 2 veículos de investimento e um fundo de capital de risco, contando com cofinanciamento de 3 milhões de euros do Fundo de Capital e Quase Capital, destinada às regiões Norte, Centro, Alentejo e de Lisboa, dos programas COMPETE 2020 e POR Lisboa, ambos integrados no programa Portugal 2020 e com cofinanciamento da União Europeia via FEDER.

Os restantes parceiros de investimento são a Red Angels e a SONAE/Bright Pixel, sendo que o programa também conta com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa, Turismo de Portugal, Microsoft e Google, na condição de Parceiros de Aceleração.
Este programa de 10 semanas, considerado no ano passado o 2º acelerador mais dinâmico da Europa pela Fundacity, é um dos mais prestigiados e intensos programas internacionais para startups que queiram focar-se no desenvolvimento e validação do produto. Em cada edição, as várias equipas têm oportunidade de contactar com mais de 200 mentores e investidores internacionais, ao mesmo tempo que participam em workshops, sessões de prática de apresentação, e eventos de networking. Num ambiente cosmopolita, encontram também diversas oportunidades para fazer crescer a sua rede de contactos, aprender com outras equipas, e evoluir todas as semanas.

O Lisbon Challenge arrancou em 2013 e, ao longo das suas sete edições, contou já com a participação de 200 startups, de 28 países. As equipas que passaram por este programa somam algo como 65 milhões de euros de investimento total (das nossas 175 startups ‘Alumni’, 40% recebeu investimento, sendo que 4 delas entraram no YCombinator, 4 no TechStars e 2 no Seedcamp).

2018-12-07 | Atualidade Nacional

Operador assina protocolos com várias autarquias


Por uso de dados para fins comerciais


2018-12-06 | Breves do Sector

Primeiro evento internacional dedicado a investidores


2018-12-05 | Breves do Sector

Monitores de análise clínica otimizados para configurações de assistência médica