Mercado de trabalho nacional acelera dinamismo no 2º trimestre

2019-03-27 O mercado de trabalho nacional vai manter-se o dinamismo que tem vindo a apresentar. No segundo trimestre, cerca de 16% dos empregadores pretenderem aumentar o número de colaboradores, o que evidencia uma subida de 4 pontos percentuais face ao trimestre anterior. Esta é uma das conclusões do ManpowerGroup Employment Outlook Survey relativo ao segundo trimestre, que antecipa uma perspetiva de emprego líquido de +13% para Portugal.

Nas cinco regiões analisadas – Norte, Grande Porto, Centro, Grande Lisboa e Sul – os empregadores manifestaram intenções de contratar mais. Mas foi na região Sul que a perspetiva de emprego líquido registou o nível mais alto, de +15%, seguida do Centro do país, com uma perspetiva de +14%. Já os empregadores na região da Grande Lisboa revelam uma perspetiva positiva de +12%, no Grande Porto de +10%) e no Norte de +9%.
Transportes, Logística e Comunicações são o setor onde se prevê um maior aumento de trabalhadores, com uma perspetiva líquida de emprego de +22%. Também os setores de Finanças, Seguros, Imóveis e Serviços de Negócios (+19%) e Restauração e Hotelaria (+16%) pretende contratar mais colaboradores.

Mas há mais áreas de atividade com incrementos significativos, como Eletricidade, Gás e Água e o Setor Público e social, com perspetivas de +14% e +13%, respetivamente. Já no Imobiliário, e depois de um 2018 bastante forte, o abrandamento que se está a registar este ano faz com que o setor da Construção seja o mais afetado, ainda que a perspetiva (+6%) seja positiva.

De acordo com o estudo, e em comparação com o trimestre anterior, as perspetivas de contratação são mais altas em cinco dos nove setores analisados. Os empregadores do setor de Restaurantes e Hotéis revelam um aumento considerável de 12 pontos percentuais. Já no setor de Transporte, Armazenamento e Comunicações e no setor Público e Social, os aumentos são de 10 e 9 pontos percentuais, respetivamente. Já as  empresas no setor de Comércio Grossista e Retalhista registam uma queda de 5 pontos percentuais.

Fica claro ainda que as grandes empresas são as que indicam as mais fortes intenções de contratação, com uma perspetiva líquida de emprego de +35%. Nas outras categorias, as contratações devem manter-se estáveis por parte das pequenas e médias empresas, com perspetivas de +15% e +13%, respetivamente, enquanto os microempresas, apesar de positiva, revelavam uma perspetiva mais cautelosa de apenas +2%.

O ManpowerGroup destaca que o grande desafio para a área de talent acquisition é atuar rapidamente ao nível da atração, sendo ágil nos ciclos dos processos, uma vez que o mercado vive uma carência em muitos setores e funções.

O estudo trimestral da ManpowerGroup recolhe as intenções de contratação de 60 mil empregadores em 44 países. Em Portygal, o Employment Outlook Survey para o segundo trimestre de 2019 foi realizado com base num inquérito a uma amostra representativa de 628 entidades patronais em Portugal. A todos os empregadores foi colocada a mesma pergunta: “Como prevê que o emprego total no seu local se altere nos três meses até ao fim de junho de 2019 em comparação com o presente trimestre?”.

2019-07-22 | Atualidade Nacional

Operador regista aumento de clientes em todas as áreas


2019-07-18 | Atualidade Nacional

Evento reuniu clientes, parceiros e responsáveis nacionais e internacionais do grupo


Para desenvolver sistemas de inteligência artificial em larga escala


Poderá dar mais de mil milhões de dólares por esta unidade


2019-07-23 | Breves do Sector

Projeto inserido no âmbito da inclusão social


2019-07-23 | Breves do Sector

Altice Portugal leva tecnologia a outras gerações