Negócio do fixo ajuda Altice Portugal no 2º trimestre

2018-08-02 A Altice Portugal registou receitas de 516 milhões de euros no segundo trimestre do ano, o que corresponde a uma queda de 5,4% face a período homólogo, mas a uma subida de 1,8% em relação ao primeiro trimestre do ano, graças à recuperação do negócio do fixo. Pela primeira vez em quase dois anos, conseguiu aumentar as receitas no segmento de particulares, registando ainda o primeiro crescimento em número de clientes em cinco anos.

No trimestre, a empresa que controla a MEO obteve um EBITDA de 222 milhões de euros no trimestre, menos 12% em termos homólogos, embora registe umr eforçod e 2,4% face ao 1º trimestre. Já o investimento operacional (capex) aumentou 6% face ao ano passado, para 106 milhões de euros, refletindo os investimentos na rede e a melhoria das práticas comerciais.

A empresa destaca que, pela primeira vez em quase dois anos, conseguiu aumentar as receitas no segmento de particulares. Cresceu 1,3% no segundo trimestre face aos três meses anteriores, impulsionada por um maior crescimento nas angariações, pela melhoria na taxa de churn e pelo aumento do ARPU dos novos clientes, que preferem produtos convergentes. Aind ano fixo, conseguiu seis mil novas adições líquidas de clientes, o que corresponde ao primeiro crescimento no espaço de cinco anos. Na fibra, o número de clientes aumentou 37%, com 46 mil adições líquidas no segundo trimestre.

No total, a Altice Portugal tinha 4,28 milhões de casas passadas com fibra, contra 3,7 milhões um ano antes. Os Clientes fixos eram 1,565 milhões, sendo 714 mil através da fibra. No segundo trimestre do ano passado, os valores eram, respetivamente, de 1,56 milhões e de 542 mil. No móvel, ficou com 6,3 milhões de clientes, sendo 3,49 milhões clientes pré-pagos e 2,89 milhões clientes pós pagos.

2018-10-18 | Atualidade Nacional

Na definição dos novos parâmetros de qualidade do serviço


Alemã sobre previsões para o total do ano


Graças à procura de 5G nos EUA e aos upgrades na Europa