NOS cresce em todos os segmentos de negócio

2017-07-20 A NOS registou no segundo trimestre do ano lucros de 40,4 milhões de euros, mais 52,5% que em igual período de 2016. Contabilizando o semestre, o operador alcançou os 71,8 milhões de euros de resultados líquidos, com um crescimento homólogo de 41,1%.

Já as receitas do 2º trimestre do ano foram de 388,4 milhões de euros (mais 4,2%), enquanto o total do primeiro semestre foi de 769,4 milhões (mais 3, 5%).O EBITDA também cresceu 5,4%, para 156,7 milhões de euros entre abril e junho, enquanto no total do primeiro semestre o aumento foi de 4,8%, para 300,3 milhões.

Estes valores são justificados pela manutenção no segundo trimestre dos crescimentos que se têm vindo a registar em todos os segmentos de negócio, tanto em receitas como clientes.

“O forte investimento que temos vindo a fazer na inovação, na melhoria da qualidade dos serviços que prestamos e no alargamento do número de famílias abrangidas pelas nossas redes de última geração, continua a contribuir para um significativo crescimento da base de clientes. Este sucesso comercial traduz-se, mais uma vez neste trimestre, numa muito positiva evolução dos indicadores financeiros, apesar da continuada queda da receita por serviço”, avança Miguel Almeida, CEO da NOS, no comunicado de apresentação dos resultados do segundo trimestre do ano.

Em termos operacionais, a NOS aumentou o número de serviços em 5,8% face ao período homólogo de 2016, para um total de 9,254 milhões. Conseguiu no trimestre 99,1 mil novas adições líquidas. Com mais 62 mil clientes móveis, elevou o número de subscritores móveis para 4,549 milhões, com adições líquidas de 62 mil novos clientes no segundo trimestre. Já na tv paga, conseguiu 4,9 mil novas adesões, totalizando 1,6 milhões de clientes. Nos serviços de banda larga fixa e telefone fixo continuou a registar uma evolução positiva, com crescimentos de 8,4% e 5,2%, respetivamente, para 1,308 milhões e 1,751 milhões.

O número de clientes convergentes aumentou 10,4%, para 710,8 mil no final de junho de 2017, representando 47,1% do total da base de clientes de acesso fixo. Um ano antes, representava 44,4%.

O operador liderado por Miguel Almeida adianta ainda que o número de serviços empresariais aumentou 8% no segundo trimestre, para 1,453 milhões de serviços. Graças à conquista de clientes no segmento corporate, no setor público e privado. O número de serviços empresariais atingiu 1,453 milhões, ou seja, mais 22,6 mil serviços ao longo do segundo trimestre deste ano.

O negócio de Cinema e Audiovisuais também se reforçou. A área de Cinema viu as receitas aumentarem 38,6% face ao segundo trimestre de 2016, para 16,2 milhões de euros. A venda de bilhetes cresceu 42,6% em termos homólogos, para 2,446 milhões. Já as receitas de Audiovisuais aumentaram 13,1% para 19,2 milhões de euros, com o bom desempenho na distribuição de cinema.

O total do CAPEX no trimestre foi de 85,7 milhões de euros. No trimestre, reforçou a cobertura da rede fixa de nova geração, aumentando o número de casas passadas em cerca de 14,9 mil. A rede ficou com uma cobertura total de 3,787 milhões de casas. A dívida financeira líquida de 1,114 milhões de euros.

2017-09-19 | Atualidade Nacional

Em inteligência artificial e machine learning


2017-09-19 | Atualidade Nacional

Regulador diz que operação pode criar entraves significativos à concorrência


Poderia afetar 2 mil milhões de utilizadores à escala global


Objetivo é agilizar mudanças no mercado mundial


2017-09-19 | Breves do Sector

Parceria responde às mudanças no panorama de segurança


2017-09-19 | Breves do Sector

Para otimizar as suas aplicações e serviços