NOS sobe investimentos, receitas e lucros no 1º semestre

2019-07-22 O primeiro semestre foi bastante positivo para a NOS. Num período em que investiu 182 milhões de euros em telecomunicações, especialmente nas redes de nova geração, subiu as receitas em 1,2% e os resultados líquidos consolidados em 13%. Os ganhos de eficiência também foram relevantes, permitindo uma subida homóloga do EBITDA em 2,5%.

Em comunicado, a empresa adianta que o investimento foi superior em 1,7% ao valor do primeiro semestre do ano passado, com o investimento em telecomunicações a crescer 3,1%, com os fortes investimentos nas suas redes de nova geração, fixa e móvel. A oferta de acessos em fibra cresceu em 350 mil casas, para um total de 4,525 milhões de casas. O investimento total do grupo foi de 207,5 milhões de euros.

Já as receitas totais foram de 781,7 milhões de euros, com um crescimento de 1,2% face a período homólogo, alcançando as receitas de telecomunicações 747,6 milhões de euros (mais 1%), “apesar do impacto menos positivo motivado pela redução das tarifas de terminação e pelo consumo de canais desportivos premium”, refere-se no comunicado. Destaque para a divisão de Cinema e Audiovisuais que, graças a uma forte recuperação no segundo trimestre, gerou um crescimento de receitas no acumulado dos primeiros seis meses de 4,2%, para 54,9 milhões.

No semestre, o EBITDA aumentou 2,5%, para 331,9 milhões de euros, com a margem EBITDA a melhorar 0,5 pontos percentuais, para 42,5%. O EBITDA do negócio de telecomunicações aumentou 2,7%, para 305,6 milhões de euros. A empresa refere que os “resultados do programa de transformação que está em curso, centrado na qualidade e na experiência de cliente, bem como em tornar a empresa mais ágil e digital, atingiu resultados positivos ao longo do semestre, com ganhos de eficiência relevantes”.

Assim, o resultado líquido antes de resultados de empresas associadas e joint-ventures e interesses não controlados cresceu 4,2%, para 88,7 milhões de euros. o resultado líquido consolidado foi de 90,2 milhões euros, mais 13%. No final de junho, a dívida financeira líquida situa-se nos 1,13 mil milhões de euros, mais 0,8% que em igual período de 2018,

Em termos operacionais, a NOS registou um aumento do número de serviços de 100 mil face ao semestre homólogo. Ficou com mais de 9,584 milhões de serviços. Nos serviços móveis, ganhou 46,4 mil novas adesões, ficando com uma carteira total de 4,769 milhões de clientes. O número de clientes de televisão por subscrição de acesso fixo ficou em junho em 1,33 milhões, de clientes, mais 28 mil, sendo que o número total de clientes de televisão da NOS ficou em 1,617 milhões.

No que respeita à banda larga fixa, o número de serviços era de 1,394 milhões (1,354 milhões no período homólogo), enquanto o número de serviços de voz fixa foi de 1,771 milhões (1,759 milhões no mesmo período no ano anterior).

A NOS destaca ainda a conquista de clientes relevantes no segmento corporate, quer no setor público quer no privado, o que levou a que o número de serviços empresariais aos 1,515 milhões, conta 1,489 verificados no final de junho de 2018.

2020-01-21 | Atualidade Nacional

Na venda de serviços de TV por subscrição aos utilizadores de tv gratuita


2020-01-20 | Atualidade Nacional

Adianta secretário de Estado do Cinema, Audiovisual e Media no Parlamento


Mais de 3,1 milhões de empregos e 209 mil milhões de euros de receitas


2020-01-21 | Breves do Sector

Incluindo em Portugal, a partir do verão


2020-01-20 | Breves do Sector

Grupo é distinguido pelo 6º ano consecutivo