NOS ultrapassa MEO em nº de clientes de pacotes

2017-06-06 No primeiro trimestre deste ano, pela primeira vez, a NOS ultrapassou a MEO em número de subscritores de pacotes de serviços, embora a marca da PT mantenha a liderança em termos de receitas. Mas é a Vodafone quem mais continua a ganhar quota, num mercado que alcançou os 3,55 milhões de clientes. Ou seja, 87 em cada 100 famílias dispunha de um pacote de serviços de comunicações.

A Anacom destaca nos seus números oficiais que no início do primeiro trimestre do ano as ofertas dos três principais operadores sofreram algumas alterações, lançando ofertas promocionais que se caracterizaram pelo aumento da velocidade de download da banda larga fixa e o aumento do tráfego de Internet no telemóvel (até 7GB incluídos por cartão). Em paralelo, ofereciam a primeira mensalidade e um desconto nos primeiros seis meses de contrato (anteriormente apenas ofereciam as duas primeiras mensalidades).
Estas campanhas foram descontinuadas no final do trimestre.

Olhando para a taxa de penetração os pacotes - 87 em cada 100 famílias clássicas – mostra uma subida homologa de 6 pontos percentuais, estimando-se que 36,2% das famílias tivessem um pacote de serviços 3P e 38,9% pacotes 4P/5P. Em termos absolutos, ganharam-se 245 mil novas adesões num ano (mais 7,4%) alcançando-se os 3,55 milhões de clientes. No entanto, o regulador destaca que o crescimento de subscritores de pacotes de serviços foi o mais baixo desde que se recolhe este tipo de informação.

A oferta 5P (banda larga fixa, telefone fixo, tv paga, telefone móvel e banda larga móvel) tinha o maior número de adesões, de 1,47 milhões (41,3%), seguindo-se a modalidade 3P (telefone fixo, banda larga fixa e tv paga), com 1,46 milhões de subscritores (41%) e o 2P, que junta o telefone fixo com a televisão por subscrição, com 260 mil subscritores (7,3%).

A NOS registou pela primeira vez a quota subscritores mais elevada (39,4%) do mercado, seguindo-se a MEO (39,2%), a Vodafone (16,4%), e o Grupo Apax/Nowo (5%). Um ano antes, tinham, respetivamente 39,7% e 40,4% do mercado. O que significa que ambas perderam quota, embora a MEO tenha perdido de forma mais acentuada. A Vodafone manteve-se como o prestador que mais aumentou a sua quota de subscritores mais 1,8 pontos percentuais nos últimos 12 meses) e a que registou a maior aquisição líquida de subscritores durante o primeiro trimestre (mais 21 mil), ficando com 16,4% do mercado, contra 14,5% em período homologo. A Apax tinha 5%.

Já em termos de receitas totais, a MEO manteve-se como o principal prestador de serviços em pacote, com uma quota de cerca de 41,8%, seguindo-se a NOS (39,9%), Vodafone (14,2%) e o Grupo Apax (4%). Um ano antes, tinham quotas de, respetivamente, 43,6%, 39,4%, 12,4% e 4,5%. Desagregando por tipos de modalidades de pacotes, a NOS liderava nas modalidades 3P e 4P, enquanto a MEO liderava nas modalidades 2P e 5P, tanto em termos de subscritores como em termos de receitas.

No total do trimestre, as receitas dos serviços em pacote foram de 440 milhões de euros (mais 6% em comparação com o mesmo período do ano anterior). A receita média mensal por subscritor situou-se nos 41,57 euros (menos 1,6%).



2017-10-20 | Atualidade Nacional

Análise alerta para o facto da Altice ganhar vantagens face à concorrência


2017-10-18 | Atualidade Nacional

Reafirmando estar a construir os alicerces do futuro


Solução S/4HANA impulsiona negócio


Acordo da UE para partilha de dados com EUA


2017-10-19 | Breves do Sector

E lança duas novas exposições, patentes até final do ano