Oracle abre centro de inovação tecnológica no Porto

2019-04-11 A subsidiária nacional da Oracle vai abrir um centro de inovação tecnológica no Porto já em julho, onde espera empregar cerca de 100 pessoas num timing a um ano. Este centro vai servir a região EMEA (Europa, Médio Oriente e África). do grupo e destina-se a desenvolver soluções tecnológicas e de serviços para a área do retalho.

Este novo investimento no mercado nacional foi anunciado pelo diretor-geral da Oracle Portugal, Bruno Morais, num encontro com a imprensa. O novo centro ficará localizado no Centro Empresarial Lionesa, em Leça do Balio, e o objetivo é atrair talento nacional e local, beneficiando de toda a cultura tecnologia que existe na região portuense, ao mesmo tempo que estendem a sua capacidade comercial para o Norte do país. 

À frente da operação portuguesa desde fevereiro, Bruno Morais revelou ainda que a subsidiária registou nos três primeiros trimestres do ano fiscal (o 3º trimestre terminou em fevereiro último) um crescimento de duplo dígito nas receitas, no que foi o seu melhor resultado de sempre nos 30 anos em que está presente em Portugal.

Uma das razões que contribuiu para este resultado foi a assinatura de cinco novos grandes contratos, todos com valores da ordem de um milhão de dólares, vindos de áreas como as utililities, financeira e telcos. O segmento de negócio que mais cresceu foi o da cloud, triplicando mesmo os resultados face há um anos atrás, embora seja a área de licenciamento base que mais receitas continua a gerar. Até mesmo no hardware, que ao nível global do grupo decresceu 4%, apresentou em Portugal um reforço a dois dígitos.

Este forte incremento é explicado pelo líder da operação nacional pela aceleração da procura no mercado de soluções cloud, no âmbito dos processos de transferência para o digital, e pela forte aposta que a Oracle está a fazer nesta segunda geração de ofertas cloud, com datacentres com uma arquitetura completamente distinta, que fornecem previsibilidade de custos, performance, segurança e compliance com o GDPR. Além da área de aplicações, e da oferta de automonous database, que usam IA e machine learning nas bases de dados na cloud para eliminar o risco humano.

Em termos globais, a Oracle registou no seu 3º trimestre uma subida de 3% nas suas receitas totais, a preços constantes, para 9,6 mil milhões de dólares. As receitas de serviços de cloud e suporte de licenças foram de 6,7 milhões.  Já os resultados operacionais subiram 5%, para 3,4 mil milhões. A gigante destaca que a sua nova oferta de autonomous database tinha já mil clientes e quatro mil novos trials no trimestre.

2019-04-18 | Atualidade Nacional

Na sequência da posição tomada pelo regulador


2019-04-18 | Atualidade Nacional

Anacom ficará com responsabilidade sobre o serviço informativo 118


Gigante já tem 40 contratos de 5G em todo o mundo


Estudo da Indra sobre transportes mostra como será o futuro


2019-04-24 | Breves do Sector

Altran realizou 4ª edição da iniciativa


2019-04-15 | Breves do Sector

Sistema de gestão de tráfego aéreo não tripulado poderá reduzir as emissões de CO2 até 25%