PT Portugal com receitas de 2,3 mil milhões em 2016

2017-03-09 Pela primeira vez em 32 trimestres, as receitas da PT Portugal voltaram a crescer nos últimos três meses de 2016. O que não evitou mais um recuo de 1,5% em termos anuais, o que evidencia um forte abrandamento da queda face aos últimos anos. No total, gerou mais de 2,3 mil milhões. O EBÎTDA cresceu 11,6%, ultrapassando a barreira dos mil milhões de euros.

De acordo com as contas divulgadas pelo acionista Altice, a PT Portugal registou receitas de 2,311 milhões de euros no ano passado no mercado nacional. O que evidenciou um recuo de 1,5%, face a 2015, bem abaixo da quebra registada um ano antes, de 7,3%

Contabilizando apenas o quatro trimestre, as receitas cresceram 0,5% em termo homólogos, o que não acontecia há pelo menos 32 trimestres consecutivos. Conseguiu 580 milhões em receitas no trimestre, graças à melhoria sustentada em todas as áreas de negócio. Sem o impacto regulatório da descida das taxas de terminação móveis teriam aumentado 1,5%. Já o EBITDA anual ficou nos 1,079 milhões de euros, mais 11,6%. O EBITDA trimestral também cresceu, para 260,7 milhões de euros.

O CAPEX do exercício foi de 399 milhões de euros, com um crescimento de 20,5% face a 2015. Manteve-se a aposta na expansão da rede de fibra ótica no país e na requalificação da rede móvel. A tecnologia 4G ficou com uma cobertura de 93% do território nacional e a rede de fibra ficou nos três milhões de casas com fibra. Para 2020, o operador tem como objetivo alcançar 5,3 milhões de casas cobertas e espera reforçar este ano em mais de 900 mil casas, tornando-se o líder do mercado em cobertura com fibra. A guerra de conteúdos desportivos também já teve impacto, já que os contratos realizados na aquisição de direitos desportivos à PT 44 milhões de euros em 2016.

"2016 foi um ano de consolidação para o grupo Altice, que se afirma hoje como uma multinacional líder, convergente em telecomunicações e media. Os resultados que apresentamos em Portugal, a par do que se verificou em França e o forte desempenho nos EUA, mostram uma clara inversão na tendência de queda de receitas que se verificava há 32 trimestres, e são a prova que em menos de dois anos, a estratégia adotada pela Altice permitiu à PT retomar o caminho do crescimento", refere Paulo Neves, presidente executivo da PT Portugal em comunicado.

Em termos operacionais, a MEO tinha 478 mil clientes de fibra, acima dos 404 mil de 2015. O total de clientes de pacotes de serviços através da rede de fibra ficou nos 443 mil clientes (364 mil um ano antes), tendo o grupo 471 mil na tv paga, 450 mil na banda larga e 474 mil na voz fixa. Já no que respeita ao DSL, ficou com uma base de 1,122 milhões de clientes (1,277 um ano antes), com 773 mil subscritores de tv paga, 654 mil de banda larga fixa e 1,02 milhões de telefone fixo. No móvel, a PT encerrou 2016 com 6,169 milhões de subscritores, menos 83 mil que um ano antes. Destes, 2,72 milhões eram clientes de assinaturas (menos 12 mil) e 3,44 milhões de pré-pagos (menos 129 mil).

A Altice destaca nas contas o sucesso do turnaround da PT, com o regresso ao crescimento das receitas no quatro trimestre, depois de 32 trimestres de quebras e apenas 4 trimestres sobre o controlo do grupo. Estabilização das tendências nos negócios B2C e reforço no B2B sustentaram essa subida. O grupo está focado na retenção e clientes, nomeadamente através a sua oferta de conteúdos, destacando o facto do mercado quadruple-play estar a atingir a saturação, o que está a desacelerar a migração das ofertas pré-pagas para pós-pagas.



2017-05-24 | Atualidade Nacional

CEO do grupo garante ter plano entusiasmante para Portugal


2017-05-24 | Atualidade Nacional

Segue-se a fase de experimentação, até 11 de outubro


Parceria junta gigantes nos veículos conectado


Estudo da Cisco revela principais chaves para a otimização destas iniciativas


2017-05-25 | Breves do Sector

Iniciativa da HPE e Intel para encontrar estratégias para um mundo digital


2017-05-24 | Breves do Sector

O grau mais elevado disponibilizado pela tecnológica