SAP faz 25 anos em Portugal com metas de mais crescimento

2018-11-21 A SAP está a crescer aceleradamente em Portugal e quer reforçar ainda mais. A aposta passa por oferecer soluções para a transformação digital das empresas, com especial incidência nas PME, tornando-as inteligentes, e pela inovação e talento. “O desafio dos próximos anos é claramente um desafio de inovação”, refere Luís Urmal Carrasqueira, diretor-geral da subsidiária nacional, para quem a empresa está a “viver um dos melhores momentos da sua história”.

“Temos consecutivamente crescido acima do sector e em 2017 não só quase que duplicámos a faturação de há 10 anos atrás, como mais que triplicámos o número de colaboradores em Portugal, para 420”, acrescentou o gestor num encontro com a Imprensa que marcou os 25 anos no mercado nacional.

A empresa tem mais de três mil consultores SAP e 100 empresas, responsáveis por um volume de negócio, associado a soluções SAP, estimado em várias centenas de milhões de euros. Mais de 5,6 mil organizações usam as soluções SAP, em setores como serviços (32%), distribuição & consumo (30%), energia & recursos naturais (15%), indústria transformadora (10%), setor público (5%) e serviços financeiros (5%).

Entre os clientes da SAP, 70% pertence ao segmento das PME, sendo que incluem 93 das 100 maiores organizações Portuguesas (Exame 500 Maiores & Melhores, 2017) ou 17 das 18 empresas do PSI-20.  “É um ecossistema muito grande”, diz Luís Urmal Carrasqueira, que destaca que a subsidiária portuguesa tem acompanhado a evolução do grupo ao nível global, com uma dinâmica de crescimento que resulta das aquisições, do crescimento orgânico e da cada vez maior rede de parceiros. Hoje, oferecem-se soluções para 25 indústrias distintas.

Um marco na vida do grupo foi a sua passagem, há 10 anos, de fornecedor tradicional de ERP (Enterprise Resource Planning) para parceiro de soluções, através do desenvolvimento da plataforma SAP HANA, plataforma de dados em memória que revolucionou o mundo do software das aplicações de negócio. Integra tecnologias IoT, machine learning, inteligência artificial, realidade aumentada e cloud e tem sido a base do crescimento do grupo alemão, que aposta na disponibilização de soluções para a transformação digital das empresas.

Só no negócio cloud, a SAP tem, a nível mundial, com mais de 170 milhões de subscritores e dispõe de um portfólio de mais de 100 soluções disponíveis para todas as linhas de negócio. Em Portugal, o crescimento tem sido sólido ao nível das receitas de software, aproximando-se dos 30% em termos de vendas de novas soluções.

Para complementar a sua oferta, o grupo apostou ainda nas aquisições. Ainda recentemente anunciou a compra da Qualtrics, depois da Business Objects (2007), Sybase (2010), SuccessFactors (2011), Ariba (2012), Hybris (2013), Fieldglass (2014), Concur (2014) e Gigya (2017),

O líder da operação nacional destaca que “se vive um processo de transformação que é entusiasmante e que este é o momento de execução, que está a acontecer todos os dias na SAP”. É que as empresas portuguesas, depois de anos de congelamento de investimentos, estão agora estão realmente interessadas em dar o passo em direção à economia digital. Não só as grandes empresas, mas também as PME, que registam uma “dinâmica muito acelerada”.

Entre os exemplos de empresas que iniciaram a o seu processo de digitalização com a SAP estão a Altice, Efacec, EricBrodheim, Gelpeixe, Grupo Brisa, Grupo Pestana, Kinda, Logoplaste, Lusíadas, Lusiaves, RTP, Science4You, Sapec Agro e Sogenave.

Para responder à necessidade de eficiência e produtividade das empresas, em paralelo com a crescente exigência dos consumidores e colaboradores por soluções inovadoras e melhores experiências, a SAP apresentou este ano o conceito da “empresa inteligente”. Com ele, pretende que qualquer sistema empresarial seja capaz de priorizar as diferentes tarefas, fazer recomendações sobre como resolver os problemas, lidar com tarefas simples e repetitivas de forma automatizada e descobrir padrões e permitir um nível de conhecimento tão profundo que ajude a tomar, no momento certo, as melhores decisões.

Uma das áreas destacadas no encontro foi a do centro internacional de serviços, criado em 2012, que permitiu acelerar significativamente a entrega de valor para os clientes da SAP.A partir do centro, que conta atualmente com 260 pessoas e deverá crescer em 2019 para 325, são desenvolvidas soluções em áreas críticas para o crescimento do negócio, como mobilidade empresarial, a analítica preditiva, cloud computing, tecnologia de processamento em memória, customer experience, big data e IoT. 90% das atividades destinam-se a clientes internacionais, sendo que as soluções acabam por ter impacto em Portugal, além de criar emprego qualificado.

Nesta área do talento, a SAP Portugal tem vindo a apostar na aproximação às universidades e politécnicos, com uma cooperação estratégica através do seu programa SAP Next-Gen. Já estabeleceu protocolos com instituições com a Universidade NOVA (NOVA IMS - Information Management School), Instituto Politécnico de Tomar e Universidade do Minho, que visam a criação de competências em soluções fundamentais à gestão de informação empresarial e responder às exigências de um mercado de trabalho cada vez mais competitivo e abrangente. E até final do ano serão anunciados mais dois protocolos, ficando a empresa com 5 SAP Next-Gen. Em 2019, a meta é alargar ainda mais, como destacou o líder nacional.

Destacando que a inovação é fundamental, Luís Urmal Carrasqueira referiu ainda a recente centro de demonstração para clientes, que visa uma maior aproximação, para que os clientes sintam a SAP como parceiro de negócios e não como mero fornecedor de oluções. “As empresas querem diferenciação e isso faz-se com business cases e experimentação”, diz, explicando que é o que é feito no centro de demonstração. Até porque a meta é manter uma total orientação para o cliente, ajudando as empresas a inovar e serem mais produtivas., com uma oferta abrangente de soluções novadora, que crie valor.
 

2018-12-14 | Atualidade Nacional

Libertação de espetro da TDT vai começar no final de 2019


2018-12-14 | Atualidade Nacional

Com a parceria tecnológica da Ericsson


2018-12-12 | Breves do Sector

Empresa será uma subsidiária da plataforma