SAS Portugal mostra poder dos dados e da analítica

2018-06-05 Os dados e a analítica foram os protagonistas do SAS Fórum Portugal 2018, o maior evento nacional de Advanced Analytics, que decorreu a 29 de maio, no Centro de Congressos de Lisboa. Clientes, parceiros, responsáveis nacionais e internacionais do SAS e oradores de renome juntaram-se para debater o inquestionável poder e influência nas mais variadas áreas da economia.

Para Ricardo Pires Silva, Diretor Executivo do SAS Portugal, a “analítica é o motor da mudança, da transformação e faz sentido levá-la a todos. Foi por isso que o SAS desenvolveu uma plataforma aberta e integrada”.  Segundo este responsável, somando vários sucessos e em contínuo crescimento, o SAS Portugal está sempre atento não só ao mercado como às necessidades dos clientes, acompanhando-os nesta transformação do mundo de dados para um mundo de
inteligência.

“Vivemos hoje num mundo mais inteligente, mas também mais preparado para responder aos desafios da economia analítica. E o SAS está do vosso lado, para resolver os vossos problemas e para que possam testar as potencialidades das nossas soluções”, referiu.

“Há cerca de 700 mil posições para preencher na Europa, no setor das TIC, e em Portugal cerca de 7 mil”, alertou o Presidente do IST, Arlindo Oliveira, falando não só no problema da falta de competências analíticas do atual mercado de trabalho, que trava o desenvolvimento do pais a nível tecnológico, mas também nas inúmeras oportunidades e desafios que temos pela frente e nas diversas utilidades da analítica.

O SAS, em conjunto com a Accenture, está a trabalhar para tornar a analítica uma vantagem competitiva para os clientes, sobre o impacto da IA. Para Edwin Van der Ouderaa, Senior Managing Director da Accenture, há exemplos de gigantes da indústria do ecommerce como é o caso da Amazon e do Alibaba.

Hannah Fry, Matemática na UCL, encantou a plateia ao falar sobre aquilo que os dados nos podem dizer do comportamento humano. Hoje podemos, de facto, monitorizar tudo, sendo, no entanto, imprescindível o estabelecimento de limites. Mencionou a relação das pessoas com as máquinas, desdramatizando a ideia de uma possível substituição. “A tecnologia ajuda-nos a ser mais humanos… e não se pense que as máquinas nos substituirão, tem de haver sim interação das pessoas com as máquinas”, disse.

Nesta iniciativa do SAS debateram-se temas tão diversos como inteligência artificial e machine learning nas organizações, o impacto do blockchain, IoT e smart cities, combate e prevenção da fraude, o papel do analytics na gestão de risco, GDPR, Marketing Analytics, entre outros, com a partilha de experiências de diversas entidades.

Accenture, Ageas, Banco Big, Brisa, CGI, Cisco, Closer, COTEC, Crédito Agrícola, EDP, Fidelidade, Galp, Habber Tec, José de Mello Saúde, KPMG, Millennium bcp, Mind Source, Montepio, NOVA IMS, PASSIO, PwC, Timestamp, Turismo de Portugal e Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias foram algumas das entidades presentes a partilhar conhecimentos e experiências com a analítica e a sua visão o futuro dos dados nas organizações.

O evento contou ainda com uma área de Demos Live, com a presença não só do SAS como também da GSTEP, Timestamp, Mindsource e Habber Tec. Nos dispositivos de IoT espalhados no evento, é de realçar a CGI que fez a captação de todo o áudio do SAS Fórum e transformou-o em texto, a Hitachi que monitorizou, em real time, a entrada e saída das pessoas, calculando o número de pessoas presentes em cada auditório e prevendo as que entrariam nos 15 segundos seguintes e, por fim, a CISCO que fez em real time a captação, análise e tratamento dos dados das turbinas na parte energética, com Real-time Windfarm Analytics.

2018-10-18 | Atualidade Nacional

Na definição dos novos parâmetros de qualidade do serviço


Alemã sobre previsões para o total do ano


Graças à procura de 5G nos EUA e aos upgrades na Europa


2018-10-19 | Breves do Sector

Acaba de ser inaugurada no Porto