WSA: há dois projetos nacionais entre os 40 vencedores

2018-11-27 O "Via Verde mobility digital ecosystem", da Brisa, e o "Body Interact", da Take the Wind, estão entre os 40 projetos vencedores da edição deste ano do World Summit Awards (WSA). Foram selecionados entre mais de 430 projetos candidatos de 178 países e estarão na grande final da iniciativa da ONU, que se realizará em Cascais em março de 2019.

Um projeto da Brisa e outro da empresa Take the Wind foram escolhidos, entre mais de 400, para integrar o restrito grupo de 40 que participam na grande na final do evento que vai realizar-se em Carcavelos, em 2019. O WSA envolve 182 países, tem o apoio e envolvimento da ONU e distingue ideias vocacionadas para causas sociais.
 
A edição desde ano do WSA, iniciativa realizada no âmbito das Nações Unidas que visa distinguir inovações digitais locais que apresentem conteúdos vocacionados para causas sociais com impacto mundial já tem os 40 finalistas. Foram escolhidos por um júri de seleção de entre mais de 430 projetos, num processo que envolveu concorrentes de 182 países.`

Portugal voltou assim a distinguir-se, com dois projetos vencedores entre os 40 melhores (cinco por cada uma das oito categorias a concurso): na categoria de "Learning & Education", o projeto "Body Interact"; e na categoria "Smart Settlements & Urbanization", a "Via Verde mobility digital ecosystem" receber a distinção do júri. 
 
Estes dois projetos portugueses juntam-se agora ao grupo de 40 vencedores que terão oportunidade de apresentar e de testar as suas ideias no WSA Global Congress, que decorrerá em Cascais entre 11 e 13 de março do próximo ano. Neste evento, que vai realizar-se pela primeira vez em Portugal, na NOVA SBE Carcavelos, será nomeado um Global Champion por cada uma das oito categorias a concurso.

O Body Interact é um software de simulação médica, desenvolvido pela startup Take the Wind, destinado a treinar estudantes e médicos, com vista a melhorar a prática médica. Trata-se de uma plataforma (www.bodyinteract.com) similar a um simulador de voo que permite aos utilizadores realizarem cenários baseados em problemas reais, através da interação real com pacientes virtuais. Este simulador online permite interações dinâmicas e pressiona os alunos e médicos em treino para a tomada de decisões, permitindo reduzir custos e evitar os riscos causados por erros médicos. 

Já o Via Verde Mobility Digital Ecosystem é um conjunto de ferramentas digitais que permite aos clientes da Via Verde ter acesso fácil um crescente número de serviços de mobilidade. Partindo do tradicional dispositivo colocado no vidro frontal dos automóveis para pagar as portagens da autoestrada, este ecossistema digital permite agora acesso a mais serviços de mobilidade 100 por cento digitais disponíveis no smartphone. Por exemplo, a Via Verde Estacionar, solução de estacionamento na rua; a Via Verde Transportes, onde os clientes podem usar o serviço para saber o melhor preço disponível para sua rota e perfil; o Drive Now powered by Via Verde, serviço de partilha de carros; a Minha Via Verde, solução de auto atendimento; e ainda o Viagens & Vantagens, um programa de fidelidade. 

Os 40 vencedores agora selecionados vêm de 26 países completamente distintos, do Ruanda, ao Chile ou ao Bangladesh. O envolvimento da ONU na iniciativa permite aos criadores das aplicações o acesso a redes mundiais de inovação, assim como múltiplas possibilidades de negócios, financiamentos e parcerias.

2018-12-14 | Atualidade Nacional

Libertação de espetro da TDT vai começar no final de 2019


2018-12-14 | Atualidade Nacional

Com a parceria tecnológica da Ericsson


2018-12-12 | Breves do Sector

Empresa será uma subsidiária da plataforma