Protechting: Fidelidade e Fosun escolhem 3 startups vencedoras

2017-07-12 O Protechting, programa de aceleração de startups promovido pela Fidelidade e pela Fosun, em parceria com a Beta-i, já tem 3 vencedores: Amiko, Bdeo e Visor.ai. Os três projetos, considerados de elevada qualidade, terão um prémio monetário, além de integrarem um road-show à China com acesso a alguns dos maiores investidores mundiais.

Apesar do prémio monetário, de 10 mil euros, estar previsto apenas para a startup vencedora, dada a elevada qualidade dos projetos,  o júri decidiu entregar o prémio monetário às 3 melhores classificadas, sendo desta forma premiadas startups de cada uma da áreas de Negócio incluídas no Protechting: protecção /prevenção, serviço e saúde. As 3 Startups vencedoras poderão ainda beneficiar de uma participação de capital, ou ver o seu negócio integrado na Fidelidade, Luz Saúde ou numa das outras empresas do grupo Fosun.

Adicionalmente, algumas das restantes startups participantes, apesar de não terem sido premiadas com a viagem à China, vão continuar a trabalhar na implementação dos pilotos que estão a decorrer, e que podem ainda também concretizar-se em parcerias futuras.

"Aprendemos muito com a edição anterior. Nesta edição, houve mais maturidade das startups e um maior encaixe e integração com a Fidelidade, Luz Saúde e Fosun. Também houve um maior envolvimento da nossa parte. Mais de 50 pessoas estiveram contribuiram para a implementação de pilotos funcionais. O Protechting traduz a nossa forma de encarar a inovação, trazendo novas ideia para dentro. Mais do que inovação, vivemos uma revolução, acolhendo e desenvolvendo continuamente projetos que nos permitem inovar e melhorar", diz Jorge Magalhães Correia, CEO da Fidelidade.

Júlia Gu, Global Partner e Vice-Presidente do Grupo Fosun, acredita que "o empreendedorismo sempre foi um ativo importante para a Fosun, no qual assenta o nosso próprio ADN. Juntamente com Fidelidade e a Luz Saúde, a Fosun procura contribuir para um mundo melhor através do apoio a novas e inovadoras ideias de negócio".

“Nesta edição também foi motivo de satisfação o facto de, na fase final de aceleração, o Protechting ter recebido equipas de 10 países diferentes, o que reforça a atratividade de Portugal e o carácter internacional do programa. Esta diversidade é muito saudável, precisamente pelo potencial de inovação que encerra, neste caso em concreto, para a indústria dos seguros e saúde”, adianta Pedro Rocha VIeira, CEO e co-fundador da Beta-i.

A italiana Amiko, fundada em janeiro de 2015, desenvolve soluções digitais que apoiam os cuidados respiratórios, através da recolha de dados em como os pacientes utilizam os medicamentos. Com recurso a sensores avançados e mobile computing e grandes volumes de dados, pretende redesenhar este tipo de cuidados.

Já a espanhola Bdeo, que nasceu em setembro de 2015, pretende simplificar o processo de peritagem. Em vez de recorrer a formulários em papel, cada cliente usa a câmara do smartphone para fazer vídeos, tirar fotografias, enviar notas e tratar deste tipo de processos de forma virtual com um perito de uma empresa de seguros.

Por fim, a portuguesa Visor.ai desenvolveu um sistema que automatiza “até 70%” as interações das empresas com clientes com recursos a inteligência artificial e a chatbots (chats automáticos).

O programa Protechting foi desenhado para apoiar e acelerar o desenvolvimento de projetos que melhorem a proteção das pessoas e do património, em 3 áreas de negócio: Proteção/Prevenção – projetos que permitam aumentar a proteção das pessoas e património; Serviço – projetos que possibilitem melhorar a experiência do serviço/assistência nas áreas Fintech e Insuretech, de modo a aumentar os níveis de satisfação; e Saúde – projetos na área da saúde (prevenção e/ou tratamento), que ajudem a melhorar significativamente a qualidade de vida e o bem-estar das famílias.

2017-07-26 | Atualidade Nacional

No âmbito da “Estratégia TIC 2020”


2017-07-25 | Atualidade Nacional

Por incumprimento das novas regras da lei das telecomunicações


Antecipando conclusão da operação no final do ano


2017-07-25 | Breves do Sector

Concentrando todas as operações no mesmo edifício